“Agora sabemos que sempre que cortamos as árvores, devemos plantar outra para manter nossa produção sustentável”, disse Maria Ayondela, em frente, comuna de Capato. © PNUD Angola

Enfrentar os desafios associados à indústria de produção do carvão vegetal tornou-se uma prioridade para Angola, baseando-se na Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável como modelo para o desenvolvimento inclusivo. Assim, o governo, através do Ministério do Ambiente coadjuvado  pelo Instituto de Desenvolvimento Florestal, Universidade de Córdoba, em Espanha, Universidade José Eduardo dos Santos no Huambo e as organizações da sociedade civil, têm uma “relevante estratégica para o país e o mundo” e estão a implementar medidas para apoiar as comunidades rurais a manter seus meios de subsistência e recursos naturais de forma sustentável a luz da legislação e políticas nacionais.

Neste contexto, teve lugar na passada quinta-feira em Luanda, a apresentação do ponto de situação do projecto de “Promoção do Carvão Vegetal Sustentável em Angola através de uma abordagem da cadeia de valor”, iniciado em 2017, e as perspectivas para o futuro, sob égide do Ministério do Ambiente com o apoio do PNUD em Angola, na Escola Nacional de Administração e Políticas Públicas.

Na sua intervenção, o Representante Residente do Programa das Nacoes Unidas para Desenvolvimento (PNUD), Henrik Fredborg Larsen, frisou que “ Para as Nações Unidas, o Projecto Carvão se encaixa nos esforços nacionais e internacionais de limitar o aquecimento global para menos de 1,5 graus. Mas o que está em questão neste projecto não é somente a conservação das florestas e a protecção do nosso clima global, mas também a renda dos homens e das mulheres que vivem da produção e do comercio do carvão vegetal, muitas vezes sem alternativas viáveis, acrescentou”.

Durante o eveto, foram também partilhados exemplos de boas práticas na produção de carvão sustentável em Moçambique e como os fogareiros eficientes e a briquetagem podem reduzir a emissão de gases de efeito estufa em Angola.

O projecto de produção de carvão sustentável do Ministério do Ambiente em colaboração com o PNUD Angola e o Fundo Global para o Ambiente, visa preservar as florestas e mitigar as emissões de gases poluentes, gerando, ao mesmo tempo, empregos e desenvolvimento das comunidades locais.

A sessão de trabalho contou com a presença dos principais parceiros envolvidos e de especialistas internacionais do Fundo Nacional do Desenvolvimento Sustentável de Moçambique e da Green Domus.

Visite o blog sobre as accções desenvolvidas pelo Ministério do Ambiente, PNUD e outros parceiros nas comunidades rurais do sul de Angola

 

PNUD PNUD no mundo

A

Afeganistão

Á

África do Sul

A

Albânia Angola Arábia Saudita Argélia Argentina Armênia Azerbaijão

B

Bahrein Bangladesh Barbados Belize Benim Bielorrússia Bolívia Bósnia e Herzegovina Botsuana Brasil Burkina Faso Burundi Butão

C

Cabo Verde Camarões Camboja Casaquistão Chade Chile China Chipre Colômbia Comores Costa do Marfim Costa Rica Croácia Cuba

D

Djibouti

E

Egito El Salvador Emirados Árabes Unidos Equador Eritréia Escritório do Pacífico Essuatíni Etiópia

F

Federação Russa Filipinas

G

Gabão Gâmbia Gana Geórgia Guatemala Guiana Guiné Guiné-Bissau Guiné Equatorial

H

Haiti Honduras

I

Iêmen Ilhas Maurício e Seychelles

Í

Índia

I

Indonésia Irã

J

Jamaica Jordânia

K

Kosovo Kuwait

L

Lesoto Líbano Libéria Líbia

M

Macedônia do Norte Madagascar Malásia Malauí Maldivas Mali Marrocos Mauritânia México Moçambique Moldova Mongólia Montenegro Myanmar

N

Namíbia Nepal Nicarágua Níger Nigéria

P

Panamá Papua Nova Guiné Paquistão Paraguai PDR do Laos Peru Programa de Assistência ao Povo Palestino

Q

Quênia Quirguistão

R

República Centro-Africana República Democrática do Congo República do Congo República do Iraque República Dominicana República Popular Democrática da Coreia Ruanda

S

Samoa (Escritório Multi-País) São Tomé e Príncipe Senegal Serra Leoa Sérvia Síria Somália Sri Lanka Sudão Sudão do Sul Suriname

T

Tailândia Tajiquistão Tanzânia Timor-Leste Togo Trinidad e Tobago Tucormenistão Tunísia Turquia

U

Ucrânia Uganda Uruguai Uzbequistão

V

Venezuela Vietnã

Z

Zâmbia Zimbábue