O Representante Residente do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) em Angola, Edo Stork, e o Embaixador da República da Turquia em Angola, Alp Ay, participaram no dia 1 de Novembro na cerimónia de entrega de certificados de estágio profissional para os 100 jovens beneficiados pela “Parceria Turquia-PNUD para o Desenvolvimento, fase II”, ao lado da Vice-Governadora da província da Huíla para o sector Político e Social, Maria João Chipalavela, e o Director Geral do Instituto Nacional do Emprego e Formação Profissional (INEFOP), Manuel Mbangui.

A parceria Turquia-PNUD teve como objectivo promover a formação profissional e o empreendedorismo nas comunidades para fomentar as oportunidades de emprego

No discurso de abertura, a Vice-Governadora da Huíla lembrou que os jovens devem construir um país “economicamente saudável” e desenvolvido e que “isso só se faz com trabalho, com competência e com habilidades”. A Vice-Governadora parabenizou os 100 jovens que receberam o certificado, após completarem o estágio de 3 meses.

“Estamos orgulhosos por podermos ajudar-vos nesta luta pelo futuro”, referiu o Embaixador da República Turquia em Angola, no seu discurso para os beneficiários. “Angola é um país jovem, com uma população jovem e o futuro do vosso país, da vossa cidade e da vossa família pertence-vos. A responsabilidade é vossa. Nós estamos aqui para vos apoiar, mas esta é a vossa luta”.

“O meu país, Turquia, vai estar sempre ao vosso lado”, acrescentou o Embaixador, referindo também a cooperação entre o Governo da Turquia e o Governo de Angola e os investimentos da Turquia no sector privado local.

 

O Representante Residente do PNUD, por sua vez, lembrou que além de se investir nos jovens, para que eles tenham um trabalho digno, deve-se pensar em particular na realidade das mulheres e no empoderamento delas. “Devemos promover as oportunidades, em particular para empoderar as mulheres e raparigas na formação profissional em todas as áreas do conhecimento”, afirmou Edo Stork.

O PNUD entende que com este projecto foram alcançados resultados importantes: “implementámos um programa de estágios profissional para 100 jovens e mulheres, temos uma alta percentagem de satisfação”, e da experiência resultou já na contratação de muitos dos estagiários.

Eduardo Munengue é um dos jovens que conseguiu um emprego após o estágio profissional. O jovem fez um discurso de agradecimentos, em nome de todos os estagiários, e contou que fez um estágio na área da culinária. “O estágio foi bom, deu para melhorar as metodologias práticas profissionais e fomos muito bem tratados pela empresa que nos recebeu e pelas formadoras que encontramos”, contou.

“Tornámo-nos agora muito mais profissionais e no final do curso fomos todos contratados pela empresa”, acrescentou Eduardo.

O sector privado foi essencial para este projecto, pelo que estiveram também presentes representantes das empresas que receberam estagiários e da Associação Agró-Pecuária, Industrial e Comercial da Huíla (AAPCIL).

O Director Geral do INEFOP, Manuel Mbangui, considerou a promoção do emprego como uma das prioridades do Governo e nesta responsabilidade, o Ministério da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social (MAPTSS) desenvolve o Plano de Acção para Promoção da Empregabilidade (PAPE) e outros programas conexos.

Na cerimónia, houve ainda um momento em que a Embaixada da Turquia e o PNUD doaram material e equipamentos informáticos ao Centro de formação do INEFOP do Lubango. O material foi entregue ao Director dos Serviços Provinciais do INEFOP, Alberto Bartolomeu.

 

A iniciativa foi implementada no âmbito da operacionalização do Memorando de Entendimento assinado entre o PNUD e o INEFOP e para reforçar a colaboração no que toca a promoção do emprego e formação técnico-profissional dos jovens rapazes e raparigas. A experiência foi pioneira na implementação do Decreto Presidencial n.º 300/20, de 23 de Novembro, que regula o estágio profissional em Angola.

 

 

Icon of SDG 01 Icon of SDG 05 Icon of SDG 08

PNUD PNUD no mundo

Você está em PNUD Angola 
Ir a PNUD Global

A

Afeganistão

Á

África do Sul

A

Albânia Angola Arábia Saudita Argélia Argentina Armênia Azerbaijão

B

Bahrein Bangladesh Barbados Belize Benim Bielorrússia Bolívia Bósnia e Herzegovina Botsuana Brasil Burkina Faso Burundi Butão

C

Cabo Verde Camarões Camboja Casaquistão Chade Chile China Chipre Colômbia Comores Costa do Marfim Costa Rica Cuba

D

Djibouti

E

Egito El Salvador Equador Eritréia Escritório do Pacífico Essuatíni Etiópia

F

Filipinas

G

Gabão Gâmbia Gana Geórgia Guatemala Guiana Guiné Guiné-Bissau Guiné Equatorial

H

Haiti Honduras

I

Iêmen Ilhas Maurício e Seychelles

Í

Índia

I

Indonésia Irã

J

Jamaica Jordânia

K

Kosovo Kuwait

L

Lesoto Líbano Libéria Líbia

M

Macedônia do Norte Madagascar Malásia Malauí Maldivas Mali Marrocos Mauritânia México Moçambique Moldova Mongólia Montenegro Myanmar

N

Namíbia Nepal Nicarágua Níger Nigéria

P

Panamá Papua Nova Guiné Paquistão Paraguai PDR do Laos Peru Programa de Assistência ao Povo Palestino

Q

Quênia Quirguistão

R

República Centro-Africana República Democrática do Congo República do Congo República do Iraque República Dominicana República Popular Democrática da Coreia Ruanda

S

Samoa (Escritório Multi-País) São Tomé e Príncipe Senegal Serra Leoa Sérvia Síria Somália Sri Lanka Sudão Sudão do Sul Suriname

T

Tailândia Tajiquistão Tanzânia Timor-Leste Togo Trinidad e Tobago Tucormenistão Tunísia Turquia

U

Ucrânia Uganda Uruguai Uzbequistão

V

Venezuela Vietnã

Z

Zâmbia Zimbábue