Credit: UN Women/Yihui Yuan.

Guterres diz que pandemia apagou décadas de avanços para a igualdade de género

 

Consequências:

António Guterres afirmou que “as vidas das mulheres foram destruídas e os seus direitos erodidos.” Segundo ele, “as consequências vão durar muito mais do que a pandemia.”

Esse ano, o tema do dia internacional é “Mulheres na liderança: Alcançando um futuro com igualdade num mundo de Covid-19". De acordo com a Organização Mundial da Saúde, OMS, mais de 70% dos trabalhadores do setor de saúde são mulheres.

Durante a pandemia, elas são trabalhadoras essenciais para manter as pessoas vivas e manter as economias, comunidades e famílias unidas.  Também estão entre os líderes que têm mantido os níveis de prevalência mais baixos e os países no caminho da recuperação.  

Em sua mensagem, Guterres destaca o poder transformador da participação feminina, dizendo que isso pode ser visto nas Nações Unidas, que alcançou a paridade de género em cargos de liderança pela primeira vez na sua história. 

Segundo ele, a organização está “a assistir à uma ação ainda mais concertada para garantir a paz, o desenvolvimento sustentável e os direitos humanos.”

Contributo:

Para o secretário-geral, “os factos são claros.” 

Quando as mulheres lideram no governo, existem maiores investimentos em proteção social e avanços contra a pobreza.  Quando estão no Parlamento, os países adotam políticas de alterações climáticas mais rigorosas. Quando estão na mesa de negociação de paz, os acordos são mais duradouros. 

Guterres afirma que “num mundo dominado por homens com uma cultura dominada por homens, a igualdade de género é essencialmente uma questão de poder.” Segundo ele, “os homens são uma parte essencial da solução.”

Ele apelou ainda aos países, empresas e instituições que adotem medidas e cotas especiais para promover a participação igualitária das mulheres e alcançar mudanças rápidas.

Unicef/Evgeniy Maloletka Segundo OMS, mulheres representam cerca de 70% dos trabalhadores de saúde

Segundo OMS, mulheres representam cerca de 70% dos trabalhadores de saúde

Oportunidade

O secretário-geral disse que, à medida que o mundo se recupera da pandemia, os pacotes de apoio e estímulo devem ser direcionados especificamente às mulheres e meninas, inclusive por meio de investimentos em empresas pertencentes a mulheres e na economia de prestação de cuidados. 

Para Guterres, a recuperação constitui a “oportunidade de deixar para trás gerações de exclusão e de desigualdades.”

Seja a gerir um país, uma empresa ou um movimento popular, o secretário-geral diz que “as mulheres estão a fazer contribuições que ajudam todos e impulsionam o progresso em direção aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.”

Para o chefe da ONU, “é hora de construir um futuro igualitário” e “este é um trabalho de todos e para benefício de todos.”

Para marcar este Dia Internacional da Mulher em 8 de março, a ONU News realiza um especial sobre a liderança feminina e o papel das mulheres na linha de frente do combate à Covid-19. O especial traz profissionais de saúde no terreno, autoridades e líderes em Moçambique, Angola, Brasil, Timor-Leste, Portugal e outras nações de língua portuguesa. 

 

Icon of SDG 05

PNUD PNUD no mundo

Você está em PNUD Angola 
Ir a PNUD Global

A

Afeganistão

Á

África do Sul

A

Albânia Angola Arábia Saudita Argélia Argentina Armênia Azerbaijão

B

Bahrein Bangladesh Barbados Belize Benim Bielorrússia Bolívia Bósnia e Herzegovina Botsuana Brasil Burkina Faso Burundi Butão

C

Cabo Verde Camarões Camboja Casaquistão Chade Chile China Chipre Colômbia Comores Costa do Marfim Costa Rica Cuba

D

Djibouti

E

Egito El Salvador Equador Eritréia Escritório do Pacífico Essuatíni Etiópia

F

Filipinas

G

Gabão Gâmbia Gana Geórgia Guatemala Guiana Guiné Guiné-Bissau Guiné Equatorial

H

Haiti Honduras

I

Iêmen Ilhas Maurício e Seychelles

Í

Índia

I

Indonésia Irã

J

Jamaica Jordânia

K

Kosovo Kuwait

L

Lesoto Líbano Libéria Líbia

M

Macedônia do Norte Madagascar Malásia Malauí Maldivas Mali Marrocos Mauritânia México Moçambique Moldova Mongólia Montenegro Myanmar

N

Namíbia Nepal Nicarágua Níger Nigéria

P

Panamá Papua Nova Guiné Paquistão Paraguai PDR do Laos Peru Programa de Assistência ao Povo Palestino

Q

Quênia Quirguistão

R

República Centro-Africana República Democrática do Congo República do Congo República do Iraque República Dominicana República Popular Democrática da Coreia Ruanda

S

Samoa (Escritório Multi-País) São Tomé e Príncipe Senegal Serra Leoa Sérvia Síria Somália Sri Lanka Sudão Sudão do Sul Suriname

T

Tailândia Tajiquistão Tanzânia Timor-Leste Togo Trinidad e Tobago Tucormenistão Tunísia Turquia

U

Ucrânia Uganda Uruguai Uzbequistão

V

Venezuela Vietnã

Z

Zâmbia Zimbábue