Gazelas no parque nacional de Iona. © PNUD Angola

Esta sexta-feira, 22 de Maio é o Dia Internacional da Biodiversidade. Em mensagem, o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, disse que as soluções para os problemas desta área estão na própria natureza.

Segundo Guterres, a preservação e a gestão sustentável da biodiversidade são necessárias para mitigar as perturbações climáticas, garantir a segurança alimentar e de água e até mesmo prevenir pandemias.

O chefe da ONU lembrou que a pandemia de Covid-19 emanou da natureza. Segundo ele, a crise “mostrou como a saúde humana está intimamente ligada à relação que tem com o meio ambiente.”

À medida que os seres humanos invadem a natureza e esgotam habitats vitais, um número crescente de espécies fica sob risco. Para Guterres, a humanidade e o futuro que as pessoas desejam também correm risco.

Ele afirmou que, durante a recuperação, que “é preciso cooperação internacional para preservar a biodiversidade e, assim, alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.”

O Objetivo 15 da Agenda 2030 é dedicado a este tema. O secretário-geral acredita que, apenas assim, serão protegidos “a saúde e o bem-estar das próximas gerações.”

Para marcar o Dia Mundial, a ONU organiza um encontro de alto nível dedicado ao tema desse ano: “As soluções estão na natureza: ambições para o nosso planeta”. O presidente da Assembleia Geral, Tijjani Muhammad-Bande, será um dos participantes.

Também nesta sexta-feira, a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura, FAO, e o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, PNUMA, lançam o relatório Estado das Florestas do Mundo.

A pesquisa analisa a necessidade de se proteger o grande número de plantas e animais encontrados em florestas, que abrigam a maior parte da biodiversidade terrestre. Também destaca a necessidade de esforços de restauração em larga escala.

Icon of SDG 14 Icon of SDG 15

PNUD PNUD no mundo

Você está em PNUD Angola 
Ir a PNUD Global

A

Afeganistão

Á

África do Sul

A

Albânia Angola Arábia Saudita Argélia Argentina Armênia Azerbaijão

B

Bahrein Bangladesh Barbados Belize Benim Bielorrússia Bolívia Bósnia e Herzegovina Botsuana Brasil Burkina Faso Burundi Butão

C

Cabo Verde Camarões Camboja Casaquistão Chade Chile China Chipre Colômbia Comores Costa do Marfim Costa Rica Cuba

D

Djibouti

E

Egito El Salvador Equador Eritréia Escritório do Pacífico Essuatíni Etiópia

F

Filipinas

G

Gabão Gâmbia Gana Geórgia Guatemala Guiana Guiné Guiné-Bissau Guiné Equatorial

H

Haiti Honduras

I

Iêmen Ilhas Maurício e Seychelles

Í

Índia

I

Indonésia Irã

J

Jamaica Jordânia

K

Kosovo Kuwait

L

Lesoto Líbano Libéria Líbia

M

Macedônia do Norte Madagascar Malásia Malauí Maldivas Mali Marrocos Mauritânia México Moçambique Moldova Mongólia Montenegro Myanmar

N

Namíbia Nepal Nicarágua Níger Nigéria

P

Panamá Papua Nova Guiné Paquistão Paraguai PDR do Laos Peru Programa de Assistência ao Povo Palestino

Q

Quênia Quirguistão

R

República Centro-Africana República Democrática do Congo República do Congo República do Iraque República Dominicana República Popular Democrática da Coreia Ruanda

S

Samoa (Escritório Multi-País) São Tomé e Príncipe Senegal Serra Leoa Sérvia Síria Somália Sri Lanka Sudão Sudão do Sul Suriname

T

Tailândia Tajiquistão Tanzânia Timor-Leste Togo Trinidad e Tobago Tucormenistão Tunísia Turquia

U

Ucrânia Uganda Uruguai Uzbequistão

V

Venezuela Vietnã

Z

Zâmbia Zimbábue