As pessoas continuam a unir-se em todo o mundo para enfrentar um vírus que está a afetar a forma como vivemos, trabalhamos e cooperamos. Isto inclui todos, desde médicos e enfermeiros voluntários que usam as suas habilidades médicas para combater o vírus, até países que estão a partilhar materiais e suprimentos médicos vitais e milhões de doses da vacina para bloquear o caminho violento da COVID-19. No entanto, a corrupção infecta a nossa resposta colectiva a esta pandemia devastadora e nenhum país está imune. Isto prejudica a nossa capacidade de garantir que todos tenham acesso à vacina, causando a perda de milhares de vidas extras. Notavelmente, a corrupção também drena recursos vitais dos países que são necessários para impulsionar a recuperação socioeconómica e alimenta a perda de nosso mundo natural.

A Organização das Nações Unidas (ONU) está a ajudar os países e as comunidades a abordar as causas subjacentes da corrupção, estimada em USD 2,6 bilhões por ano. A Convenção das Nações Unidas contra a Corrupção é o único instrumento anticorrupção global que contribui para o cumprimento da Agenda 2030, promovendo responsabilidade, integridade e transparência. Estes princípios são essenciais em tempos de crise - dentro e além da pandemia da COVID-19. A ONU também criou uma Força-Tarefa Global sobre Corrupção, co-presidida pelo Escritório da ONU sobre Drogas e Crime (UNODC), o Departamento de Assuntos Políticos e de Construção da Paz (DPPA) e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), que reforça uma abordagem de uma ONU para apoiar os países na prevenção e no enfrentamento da corrupção. Há ainda uma iniciativa do PNUD, da Organização Mundial da Saúde e do Fundo Global para fortalecer a integridade nos sistemas de saúde e promover a cobertura universal de saúde.

O novo Plano Estratégico 2022-2025 do PNUD compromete a organização a ajudar a moldar instituições estatais inclusivas, resilientes à corrupção e ao abuso de poder, baseadas nos princípios de integridade, transparência e responsabilidade. E a próxima geração de apoio anticorrupção do PNUD ajuda os países a alavancar o poder da tecnologia e da inovação para impulsionar os esforços anticorrupção. Por exemplo, está a capacitar comunidades no Uganda e Sri Lanka a usar ferramentas digitais para introduzir integridade e transparência na gestão de recursos ambientais. Ou na Ucrânia, onde uma nova plataforma eletrónica apoiada pelo PNUD está a aumentar a transparência nas aquisições. Também ajudamos a garantir que mais pessoas se possam manifestar contra este flagelo e falar publicamente - desde jovens em Bangladesh até conselhos municipais em Fiji.

No PNUD, temos o compromisso de garantir transparência, responsabilidade e auto-reflexão e aprendizados contínuos, com o apoio de avaliações e auditorias independentes. Lidamos proativamente com quaisquer problemas identificados por meio de sistemas de supervisão independentes. Nós esforçamo-nos para fortalecer continuamente o nosso desempenho em linha com os mais altos padrões de excelência que o PNUD estabeleceu para si mesmo - e trabalhamos arduamente para ajudarmos os nossos parceiros a fazerem o mesmo. Como parte desses esforços, o portal open.undp.org fornece ao público acesso a dados sobre mais de 10.000 projetos do PNUD. De facto, o Índice de Transparência da Ajuda de 2020 classificou o PNUD com uma pontuação de 96,6 em 100 - um aumento de 1,2 pontos desde que o último Índice foi publicado em 2018.

Todas as partes interessadas - desde governos, ONU, sector privado, sociedade civil, media e indivíduos - têm direitos e responsabilidades quando se trata de combater a corrupção. Num momento em que os países e comunidades exigem bilhões de dólares para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, o PNUD está empenhado em ajudar os países a erradicar a corrupção em todos os aspectos da sociedade. Isso ajudará a mobilizar valiosas finanças de desenvolvimento para áreas críticas - desde ajudar as comunidades vulneráveis a se adaptarem e responderem à nossa crise climática; apoiar esforços para proteger e restaurar o nosso mundo natural; para o avanço de esforços inovadores para expandir energia limpa acessível a milhões de pessoas. Unidos contra a corrupção, podemos acelerar o ímpeto global necessário para enfrentar os complexos desafios de desenvolvimento que o nosso mundo enfrenta agora.

 

Achim Steiner

 

 

Icon of SDG 16

PNUD PNUD no mundo

Você está em PNUD Angola 
Ir a PNUD Global

A

Afeganistão

Á

África do Sul

A

Albânia Angola Arábia Saudita Argélia Argentina Armênia Azerbaijão

B

Bahrein Bangladesh Barbados Belize Benim Bielorrússia Bolívia Bósnia e Herzegovina Botsuana Brasil Burkina Faso Burundi Butão

C

Cabo Verde Camarões Camboja Casaquistão Chade Chile China Chipre Colômbia Comores Costa do Marfim Costa Rica Cuba

D

Djibouti

E

Egito El Salvador Equador Eritréia Escritório do Pacífico Essuatíni Etiópia

F

Filipinas

G

Gabão Gâmbia Gana Geórgia Guatemala Guiana Guiné Guiné-Bissau Guiné Equatorial

H

Haiti Honduras

I

Iêmen Ilhas Maurício e Seychelles

Í

Índia

I

Indonésia Irã

J

Jamaica Jordânia

K

Kosovo Kuwait

L

Lesoto Líbano Libéria Líbia

M

Macedônia do Norte Madagascar Malásia Malauí Maldivas Mali Marrocos Mauritânia México Moçambique Moldova Mongólia Montenegro Myanmar

N

Namíbia Nepal Nicarágua Níger Nigéria

P

Panamá Papua Nova Guiné Paquistão Paraguai PDR do Laos Peru Programa de Assistência ao Povo Palestino

Q

Quênia Quirguistão

R

República Centro-Africana República Democrática do Congo República do Congo República do Iraque República Dominicana República Popular Democrática da Coreia Ruanda

S

Samoa (Escritório Multi-País) São Tomé e Príncipe Senegal Serra Leoa Sérvia Síria Somália Sri Lanka Sudão Sudão do Sul Suriname

T

Tailândia Tajiquistão Tanzânia Timor-Leste Togo Trinidad e Tobago Tucormenistão Tunísia Turquia

U

Ucrânia Uganda Uruguai Uzbequistão

V

Venezuela Vietnã

Z

Zâmbia Zimbábue