Judite Silva e Josyanne Costa, Voluntárias do PNUD Angola em Nairobi, Quénia, durante o workshop para os voluntários da África Oriental e Austral.

No Dia Internacional do Voluntário, saudamos os cerca de mil milhões de voluntários que oferecem as suas habilidades, tempo e entusiasmo às comunidades em todo o mundo.

Desde o combate às alterações climáticas, à prestação de cuidados de saúde e ao dar às pessoas marginalizadas mais oportunidades para melhorarem o seu próprio futuro, quase 8.000 Voluntários das Nações Unidas actualmente servem com mais de 40 entidades da ONU. Por exemplo, Voluntários da ONU trabalharam com a Missão das Nações Unidas no Sudão do Sul para criar fóruns neutros para reunir os partidos em conflito e ajudar a construir a paz. E no Paquistão, a Organização Mundial da Saúde mobilizou mais de 150 Voluntários da ONU para actuarem como monitores distritais para apoiar as campanhas de avaliação da prontidão para o sarampo, visando 32 milhões de crianças.

A inclusão é uma característica determinante do voluntariado. O programa de Voluntários das Nações Unidas (UNV) oferece uma ampla variedade de oportunidades para que todos façam a diferença, independentemente de idade, sexo, deficiência, raça, etnia, origem, religião, status económico ou outro. Isso é exemplificado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) - Programa de Talentos da UNV para Jovens Profissionais com Deficiências - da Armênia ao Zimbábue, 15 Voluntários da ONU trabalham com o PNUD e fomentam a inclusão como modelos nos países em que atuam.

No Dia Internacional do Voluntário, parabenizo o trabalho dos voluntários em todo o mundo - uma contribuição que será cada vez mais importante durante a próxima Década de Acção para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). E os notáveis ​​resultados já alcançados pelos voluntários todos os dias mostram como é possível desempenhar um papel ativo na formação de um futuro mais brilhante, sustentável e inclusivo.

Achim Steiner, Administrador do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD)

PNUD PNUD no mundo

Você está em PNUD Angola 
Ir a PNUD Global

A

Afeganistão

Á

África do Sul

A

Albânia Angola Arábia Saudita Argélia Argentina Armênia Azerbaijão

B

Bahrein Bangladesh Barbados Belize Benim Bielorrússia Bolívia Bósnia e Herzegovina Botsuana Brasil Burkina Faso Burundi Butão

C

Cabo Verde Camarões Camboja Casaquistão Chade Chile China Chipre Colômbia Comores Costa do Marfim Costa Rica Cuba

D

Djibouti

E

Egito El Salvador Equador Eritréia Escritório do Pacífico Essuatíni Etiópia

F

Filipinas

G

Gabão Gâmbia Gana Geórgia Guatemala Guiana Guiné Guiné-Bissau Guiné Equatorial

H

Haiti Honduras

I

Iêmen Ilhas Maurício e Seychelles

Í

Índia

I

Indonésia Irã

J

Jamaica Jordânia

K

Kosovo Kuwait

L

Lesoto Líbano Libéria Líbia

M

Macedônia do Norte Madagascar Malásia Malauí Maldivas Mali Marrocos Mauritânia México Moçambique Moldova Mongólia Montenegro Myanmar

N

Namíbia Nepal Nicarágua Níger Nigéria

P

Panamá Papua Nova Guiné Paquistão Paraguai PDR do Laos Peru Programa de Assistência ao Povo Palestino

Q

Quênia Quirguistão

R

República Centro-Africana República Democrática do Congo República do Congo República do Iraque República Dominicana República Popular Democrática da Coreia Ruanda

S

Samoa (Escritório Multi-País) São Tomé e Príncipe Senegal Serra Leoa Sérvia Síria Somália Sri Lanka Sudão Sudão do Sul Suriname

T

Tailândia Tajiquistão Tanzânia Timor-Leste Togo Trinidad e Tobago Tucormenistão Tunísia Turquia

U

Ucrânia Uganda Uruguai Uzbequistão

V

Venezuela Vietnã

Z

Zâmbia Zimbábue