Ministra do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação, Dra. Maria do Rosário Bragança

O Ministério do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação (MESCTI) e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) deram hoje início a um Workshop online de Inovação & Empreendedorismo, com o lema “Crescimento e Oportunidades”, no âmbito do Memorando de Entendimento assinado entre as duas entidades.

No discurso de abertura, a Ministra do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação, Dra. Maria do Rosário Bragança, defendeu que “a promoção da inovação e do empreendedorismo contribui, de forma significativa, para o desenvolvimento social e económico”. Além de gerarem empregos, através da inovação e do empreendedorismo são qualificados “jovens criativos e com forte empenho, que sabem identificar e aproveitar as oportunidades, em prol do desenvolvimento pessoal e da sociedade”, transformando ideias em projectos, continuou a ministra.

Reconhecendo o papel essencial do empreendedorismo e inovação para o avanço científico e tecnológico do país, “o MESCTI tem fomentado nas instituições de ensino superior a adopção de novas tecnologias, que permitam o aumento da competitividade das empresas e a implementação de novos negócios, estimulando o desenvolvimento de incubadoras, fablabs e start-ups de base tecnológica, criando infraestruturas adequadas à geração, difusão e apropriação do conhecimento”, referiu a Dra. Maria do Rosário Bragança.

Representante Residente do PNUD em Angola, Dr. Edo Stork.

“Não é só o que fazemos de novo que é importante para a inovação, mas também a maneira como fazemos, como nos organizamos e como chegamos às novas ideias. Também a forma como fazemos as coisas pode mudar”, disse o representante residente do PNUD em Angola, Dr. Edo Stork, na sua intervenção.

O representante da agência da ONU fez referência a como a inovação e a digitalização poderão abrir portas para um maior investimento nas mulheres e nos jovens e, consequentemente, ajudar a alavancar o desenvolvimento humano como um todo.

No workshop, foi apresentado o papel que o Ministério do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação e o Ministério da Economia e Planeamento têm adoptado para promover a inovação, o desenvolvimento e o empreendedorismo, em linha com a Política e a Estratégia Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação e com os planos que compõe o Sistema Nacional. Na sua apresentação, o Secretário de Estado para a Ciência, Tecnologia e Inovação, Dr. Domingos Neto, referiu igualmente a importância da Estratégia de implementação do Plano de Desenvolvimento Nacional em Ciência, Tecnologia e Inovação para o alcance dos objectivos.

Neste âmbito, foram também apresentadas as actividades e acções do Instituto Nacional de Inovação e Tecnologias Industriais, do Ministério da Indústria e Comércio, e do Laboratório de Inovação do Sistema de Pagamentos, uma iniciativa do Banco Nacional de Angola, para alavancar o desenvolvimento.

Do outro lado do oceano, a partir do Brasil, o especialista da ENIMPACTO, um programa do Ministério da Economia do Brasil, Dr. Lucas Ramalho Maciel, e o oficial para os assuntos económicos sobre políticas de ciência, tecnologia e inovação da Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD), Dr. Clóvis Freire Junior, falaram sobre a relevância e o papel das políticas e programas públicos para a promoção do uso da inovação e do empreendedorismo na criação de um impacto social positivo, com exemplos de como o sector privado pode contribuir para o desenvolvimento sustentável, a resolução de problemas sociais e a redução de desigualdades. Foi ainda demonstrada a estreita relação entre a transformação tecnológica e digital e a inovação.

Como não há desenvolvimento sem educação - e é nas Universidades que nascem muitas inovações - houve igualmente espaço para falar sobre o programa de apoio ao ensino superior prestado pelo UNI.AO, com financiamento da União Europeia. Segundo o Dr. Benjamin Buclet, o objectivo do programa é aumentar a diversificação económica e a criação de empregos em sectores prioritários.   

O PNUD e o MESCTI assinaram em Junho deste ano um Memorando de Entendimento para a cooperação na promoção da inovação que inclui o apoio ao estabelecimento de uma rede de transferência de Tecnologia e Inovação e a instalação de incubadoras em 2 Universidades Públicas, e o empreendedorismo nas instituições angolanas de ensino superior, investigação científica e desenvolvimento, nos moldes dos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável.

PNUD PNUD no mundo

Você está em PNUD Angola 
Ir a PNUD Global

A

Afeganistão

Á

África do Sul

A

Albânia Angola Arábia Saudita Argélia Argentina Armênia Azerbaijão

B

Bahrein Bangladesh Barbados Belize Benim Bielorrússia Bolívia Bósnia e Herzegovina Botsuana Brasil Burkina Faso Burundi Butão

C

Cabo Verde Camarões Camboja Casaquistão Chade Chile China Chipre Colômbia Comores Costa do Marfim Costa Rica Cuba

D

Djibouti

E

Egito El Salvador Equador Eritréia Escritório do Pacífico Essuatíni Etiópia

F

Filipinas

G

Gabão Gâmbia Gana Geórgia Guatemala Guiana Guiné Guiné-Bissau Guiné Equatorial

H

Haiti Honduras

I

Iêmen Ilhas Maurício e Seychelles

Í

Índia

I

Indonésia Irã

J

Jamaica Jordânia

K

Kosovo Kuwait

L

Lesoto Líbano Libéria Líbia

M

Macedônia do Norte Madagascar Malásia Malauí Maldivas Mali Marrocos Mauritânia México Moçambique Moldova Mongólia Montenegro Myanmar

N

Namíbia Nepal Nicarágua Níger Nigéria

P

Panamá Papua Nova Guiné Paquistão Paraguai PDR do Laos Peru Programa de Assistência ao Povo Palestino

Q

Quênia Quirguistão

R

República Centro-Africana República Democrática do Congo República do Congo República do Iraque República Dominicana República Popular Democrática da Coreia Ruanda

S

Samoa (Escritório Multi-País) São Tomé e Príncipe Senegal Serra Leoa Sérvia Síria Somália Sri Lanka Sudão Sudão do Sul Suriname

T

Tailândia Tajiquistão Tanzânia Timor-Leste Togo Trinidad e Tobago Tucormenistão Tunísia Turquia

U

Ucrânia Uganda Uruguai Uzbequistão

V

Venezuela Vietnã

Z

Zâmbia Zimbábue