23 Outubro 2020

O Secretário-Geral sublinha importância do apelo para cessar-fogo global; mensagem enumera desafios como produção de vacina para COVID-19, crise climática e ajuda aos países para cumprir metas da Agenda 2030 de Desenvolvimento Sustentável.

O Secretário-Geral, António Guterres, disse que em plena pandemia a missão das Nações Unidas “é agora mais crucial do que nunca”. O Chefe da ONU publicou uma mensagem por ocasião do 75º aniversário da organização. 

“Para promover a dignidade humana. Proteger os direitos humanos. Garantir o direito internacional. E salvar a Humanidade da guerra. Quando a pandemia começou, apelei a um cessar-fogo mundial. Actualmente, o nosso mundo tem um inimigo comum: a COVID-19. Chegou a hora de intensificar os esforços pela paz e para alcançar um cessar-fogo global. O relógio não para.”

Fundadores 

A ONU foi oficialmente estabelecida em 24 de Outubro de 1945, com a assinatura da Carta das Nações Unidas pela maioria dos 51 Estados-Membros Fundadores.

A organização foi criada para suceder a Liga das Nações visando principalmente impedir outro conflito armado envolvendo várias nações na sequência da Segunda Guerra Mundial.

A mensagem de Guterres lista alguns dos desafios atuais mais prioritários e urgentes como a crise das mudanças climáticas. Sobre esta ameaça, Guterres realça que é preciso também fazer as pazes com o planeta.  

“A emergência climática é uma ameaça à própria vida. Devemos mobilizar todo o mundo para alcançar a neutralidade carbônica e reduzir a zero as emissões de gases com efeito de estufa, até 2050. Um crescente número de países e de empresas já se comprometeram a atingir esta meta. Durante estes meses de pandemia assistimos também a um terrível aumento da violência contra mulheres e meninas. Temos de trabalhar em prol do progresso. Está em curso uma notável colaboração internacional para produzir uma vacina para a COVID-19 que seja segura e acessível para todos.”

Oportunidades 

Os pilares das Nações Unidas são a busca da paz e do desenvolvimento com base nos princípios de justiça, dignidade humana e bem-estar de todos.

Diante de várias dificuldades atuais, a mensagem do Secretário-Geral destaca que é necessária a contribuição de todos para atingir objetivos comuns da humanidade. 

“Os Objectivos de Desenvolvimento Sustentável oferecem-nos um modelo inspirador para que seja possível recuperar melhor. Enfrentamos desafios colossais. Com solidariedade e cooperação globais podemos superá-los. É a razão de ser das Nações Unidas. Neste aniversário, apelo a todos, em todo o lado, que se unam. As Nações Unidas não só estão convosco...Como as Nações Unidas pertencem-vos e é: “nós os povos”. Juntos, vamos preservar os valores perenes da Carta das Nações Unidas.”

O Relatório do Secretário-Geral sobre o Trabalho da Organização realça que a ONU actua com mais de 36 mil funcionários no Secretariado. Cerca de 95 mil elementos uniformizados prestaram serviço em mais de 140 Nações.

Desenvolvimento sustentável

A acção em favor do desenvolvimento sustentável acontece por meio de um sistema reformulado, no qual coordenadores residentes da ONU actuam com Governos e Parceiros em 162 países e territórios para alcançar a Agenda 2030.

Em termos de assistência humanitária, a organização mobilizou e coordenou apoio internacional no valor de 18 bilhões dólares para 117 milhões de pessoas necessitadas somente no ano passado.

PNUD PNUD no mundo

Você está em PNUD Angola 
Ir a PNUD Global

A

Afeganistão

Á

África do Sul

A

Albânia Angola Arábia Saudita Argélia Argentina Armênia Azerbaijão

B

Bahrein Bangladesh Barbados Belize Benim Bielorrússia Bolívia Bósnia e Herzegovina Botsuana Brasil Burkina Faso Burundi Butão

C

Cabo Verde Camarões Camboja Casaquistão Chade Chile China Chipre Colômbia Comores Costa do Marfim Costa Rica Cuba

D

Djibouti

E

Egito El Salvador Equador Eritréia Escritório do Pacífico Essuatíni Etiópia

F

Filipinas

G

Gabão Gâmbia Gana Geórgia Guatemala Guiana Guiné Guiné-Bissau Guiné Equatorial

H

Haiti Honduras

I

Iêmen Ilhas Maurício e Seychelles

Í

Índia

I

Indonésia Irã

J

Jamaica Jordânia

K

Kosovo Kuwait

L

Lesoto Líbano Libéria Líbia

M

Macedônia do Norte Madagascar Malásia Malauí Maldivas Mali Marrocos Mauritânia México Moçambique Moldova Mongólia Montenegro Myanmar

N

Namíbia Nepal Nicarágua Níger Nigéria

P

Panamá Papua Nova Guiné Paquistão Paraguai PDR do Laos Peru Programa de Assistência ao Povo Palestino

Q

Quênia Quirguistão

R

República Centro-Africana República Democrática do Congo República do Congo República do Iraque República Dominicana República Popular Democrática da Coreia Ruanda

S

Samoa (Escritório Multi-País) São Tomé e Príncipe Senegal Serra Leoa Sérvia Síria Somália Sri Lanka Sudão Sudão do Sul Suriname

T

Tailândia Tajiquistão Tanzânia Timor-Leste Togo Trinidad e Tobago Tucormenistão Tunísia Turquia

U

Ucrânia Uganda Uruguai Uzbequistão

V

Venezuela Vietnã

Z

Zâmbia Zimbábue