UNDP Angola

Resposta do PNUD ao COVID-19 em Angola de Março a Junho 2020

Vivemos tempos exigentes. A pandemia da COVID-19 expôs tremendas deficiências, fragilidades e falhas a nível global.

Neste contexto, em Março de 2020, o Escritório do PNUD em Angola assumiu a resposta da COVID-19 para o país, focada em quatro áreas de intervenção: 1) Sistemas de Saúde resilientes; 2) Impacto Económico e Social; 3) Liderança Estratégica e Inclusiva Nacional e Laboratório de Aceleração facilitado 4) Inovações para Programas Críticos, Resposta e Recuperação. Esta resposta além de abranger toda a assistência do PNUD, está a integrar as abordagens de Género e dos Direitos Humanos em Resposta e Recuperação.

A Resposta do PNUD à COVID-19 em Angola de Março a Junho de 2020 apresenta, os principais progressos alcançados, mas também os principais parceiros nacionais e internacionais envolvidos, identificando a posição do País face aos compromissos e metas assumidos em matéria de combate à pandemia e desenvolvimento sustentável.

Saúde - a nossa aposta central para sistemas resilientes de saúde e comunidade foi entregue por meio de assistência técnica em vigilância epidemiológica, quantificação, mobilização de recursos e envolvimento da comunidade na COVID-19 e outras emergências de saúde, cujos resultados são já evidentes e serão crescentemente visíveis.

Apostámos, também, no impacto socioeconómico. O PNUD trabalhou com parceiros na construção da resiliência da comunidade e nas capacidades nacionais e locais, inclusive em intervenções relacionadas às alterações climáticas nas províncias afetadas pela crise.

Como PNUD, assegurámos ainda o aprimoramento dos sistemas de direitos humanos e fornecemos um apoio inovador ao funcionamento seguro dos mercados informais, estabelecendo fundamentos iniciais para o processo de formalização do setor informal e a expansão da protecção social para esse  grupo populacional avançando, portanto, o princípio de não deixar ninguém para trás. Uma outra grande aposta foi o apoio inovador dado à digitalização das sessões parlamentares pela primeira vez, garantindo a observação do distanciamento social.

Há ainda muito por fazer e um longo caminho pela frente. À medida que o país entra na sua fase de recuperação, a oferta de programas e políticas do PNUD para a COVID-19 está a mudar para melhor responder à natureza evolutiva da pandemia e à arquitetura de resposta correspondente das Nações Unidas. Os cinco pilares de trabalho da estrutura socioeconómica do SG serão entregues com saúde, governação, género, ambiente, avanços digitais e meios de gerir incertezas - cada uma das quais será crucial para o sucesso. Juntos, eles compõem as dez partes da Agenda 2.0 UNDP’s Back to Better do PNUD.

Esta Agenda 2.0 do PNUD está totalmente integrada com a resposta de saúde pública da ONU, sob a liderança da OMS, e a resposta humanitária, sob a liderança do Escritório de Assuntos Humanitários da ONU. Ela coloca a experiência integradora do PNUD, as capacidades de programação, o conhecimento técnico e os serviços de consultoria para trabalhar para servir os países e apoiar o sistema de desenvolvimento da ONU, mantendo o nosso mandato de desenvolvimento humano na frente e no centro.

Leia na íntegra a Resposta do PNUD ao COVID-19 em Angola de Março a Junho 2020

PNUD PNUD no mundo

Você está em PNUD Angola 
Ir a PNUD Global

A

Afeganistão

Á

África do Sul

A

Albânia Angola Arábia Saudita Argélia Argentina Armênia Azerbaijão

B

Bahrein Bangladesh Barbados Belize Benim Bielorrússia Bolívia Bósnia e Herzegovina Botsuana Brasil Burkina Faso Burundi Butão

C

Cabo Verde Camarões Camboja Casaquistão Chade Chile China Chipre Colômbia Comores Costa do Marfim Costa Rica Cuba

D

Djibouti

E

Egito El Salvador Equador Eritréia Escritório do Pacífico Essuatíni Etiópia

F

Filipinas

G

Gabão Gâmbia Gana Geórgia Guatemala Guiana Guiné Guiné-Bissau Guiné Equatorial

H

Haiti Honduras

I

Iêmen Ilhas Maurício e Seychelles

Í

Índia

I

Indonésia Irã

J

Jamaica Jordânia

K

Kosovo Kuwait

L

Lesoto Líbano Libéria Líbia

M

Macedônia do Norte Madagascar Malásia Malauí Maldivas Mali Marrocos Mauritânia México Moçambique Moldova Mongólia Montenegro Myanmar

N

Namíbia Nepal Nicarágua Níger Nigéria

P

Panamá Papua Nova Guiné Paquistão Paraguai PDR do Laos Peru Programa de Assistência ao Povo Palestino

Q

Quênia Quirguistão

R

República Centro-Africana República Democrática do Congo República do Congo República do Iraque República Dominicana República Popular Democrática da Coreia Ruanda

S

Samoa (Escritório Multi-País) São Tomé e Príncipe Senegal Serra Leoa Sérvia Síria Somália Sri Lanka Sudão Sudão do Sul Suriname

T

Tailândia Tajiquistão Tanzânia Timor-Leste Togo Trinidad e Tobago Tucormenistão Tunísia Turquia

U

Ucrânia Uganda Uruguai Uzbequistão

V

Venezuela Vietnã

Z

Zâmbia Zimbábue