PNUD Angola

A luta pela defesa da biodiversidade em Angola e contra a caça furtiva foi, esta quinta-feira, reforçada. A Ministra da Cultura, Turismo e Ambiente, Sua Excelência Dra. Adjany Costa, e o Representante Residente do PNUD, Dr. Edo Stork, assinaram o acordo para a implementação de um novo projecto denominado “Combate ao comércio ilegal de vida selvagem e conflito entre a vida selvagem e humana em Angola”, que será financiado pelo Fundo Global do Ambiente (GEF) em USD 4,103,800.

A assinatura oficial do projecto decorreu no Hotel Trópico, em Luanda, durante o Comité de Pilotagem do projecto “Expansão e Fortalecimento do Sistema de Áreas de Conservação em Angola”, outro ponto forte e de orgulho da cooperação entre o Fundo Global do Ambiente, o Ministério da Cultura, Turismo e Ambiente e o PNUD.  

“A conservação da biodiversidade tem um papel central na colaboração entre o Governo de Angola e o PNUD há vários anos”, referiu o Representante Residente do PNUD na sua intervenção.

 

©2017, INBAC/ RWCP

O projecto “Expansão e fortalecimento do sistema de áreas de conservação de Angola”, em discussão pelo Comité de Pilotagem, apoia a gestão de cinco áreas de conservação existentes e a criação de três novas áreas de conservação.  Outro dos projectos em parceria com o Governo estende o sistema das áreas de conservação para o espaço marinho.

“A conservação e o uso sustentável dos recursos naturais podem contribuir de forma significativa ao desenvolvimento do país”, afirmou Edo Stork, terminando por parabenizar “mais uma vez o Governo de Angola, e especificamente a Sra. Ministra Adjany Costa, pela ênfase que tem dado às questões ambientais e de desenvolvimento sustentável”.

O portfolio de projectos ambientais implementados conjuntamente entre o Ministério da Cultura, Turismo e Ambiente e o PNUD tem um volume financeiro de 25,5 milhões de dólares, segundo o Representante da agência da ONU. A previsão é que cresça “dentro dos próximos meses para mais de 30 milhões de dólares com a aprovação de novos projectos”, explicou o Representante do PNUD.

A caça furtiva tem sido uma grande ameaça à fauna local e, por isso, em Fevereiro do presente ano, uma parceria entre o Governo, o PNUD e o GEF permitiu às autoridades dos Parques Nacionais construírem estações de patrulha e comprar equipamentos, incluindo veículos para os guardas florestais trabalharem num território maior.

PNUD PNUD no mundo

Você está em PNUD Angola 
Ir a PNUD Global

A

Afeganistão

Á

África do Sul

A

Albânia Angola Arábia Saudita Argélia Argentina Armênia Azerbaijão

B

Bahrein Bangladesh Barbados Belize Benim Bielorrússia Bolívia Bósnia e Herzegovina Botsuana Brasil Burkina Faso Burundi Butão

C

Cabo Verde Camarões Camboja Casaquistão Chade Chile China Chipre Colômbia Comores Costa do Marfim Costa Rica Cuba

D

Djibouti

E

Egito El Salvador Equador Eritréia Escritório do Pacífico Essuatíni Etiópia

F

Filipinas

G

Gabão Gâmbia Gana Geórgia Guatemala Guiana Guiné Guiné-Bissau Guiné Equatorial

H

Haiti Honduras

I

Iêmen Ilhas Maurício e Seychelles

Í

Índia

I

Indonésia Irã

J

Jamaica Jordânia

K

Kosovo Kuwait

L

Lesoto Líbano Libéria Líbia

M

Macedônia do Norte Madagascar Malásia Malauí Maldivas Mali Marrocos Mauritânia México Moçambique Moldova Mongólia Montenegro Myanmar

N

Namíbia Nepal Nicarágua Níger Nigéria

P

Panamá Papua Nova Guiné Paquistão Paraguai PDR do Laos Peru Programa de Assistência ao Povo Palestino

Q

Quênia Quirguistão

R

República Centro-Africana República Democrática do Congo República do Congo República do Iraque República Dominicana República Popular Democrática da Coreia Ruanda

S

Samoa (Escritório Multi-País) São Tomé e Príncipe Senegal Serra Leoa Sérvia Síria Somália Sri Lanka Sudão Sudão do Sul Suriname

T

Tailândia Tajiquistão Tanzânia Timor-Leste Togo Trinidad e Tobago Tucormenistão Tunísia Turquia

U

Ucrânia Uganda Uruguai Uzbequistão

V

Venezuela Vietnã

Z

Zâmbia Zimbábue