O PNUD une-se ao Secretário-Geral, à OCHA e à OMS, bem como à comunidade humanitária, pedindo uma resposta internacional urgente e conjunta a esta ameaça sem precedentes. Essa pandemia já está presente em mais de 185 países e está a afectar milhões. Uma ameaça global desta magnitude requer solidariedade global para apoiar os países mais vulneráveis à medida que lidam com a crise que se desenrola.Os países que já estão em crise por causa de conflitos, desastres naturais e mudanças climáticas estão em maior risco.
O COVID-19 já está a atingir a economia fortemente. O comércio, a linha de suporte de vida de África, sofreu uma forte contração, com os exportadores de petróleo a enfrentar perdas de até US$ 100 bilhões somente em 2020 (Comissão Económica para a África - ECA). Os ganhos projectados com investimento directo estrangeiro foram revistos em baixa, com contrações previstas em 15% globalmente (Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento - UNCTAD). O PIB de África encolherá de 3,2% para cerca de 2% (ECA). Aumentam os temores de uma nova crise da dívida, à medida que o continente busca desesperadamente recursos para lidar com esta crise. As remessas da diáspora africana vão cair a pique, pois a pandemia obriga as economias mais desenvolvidas a parar.
Administrador do PNUD. “As parcerias com empresas do sector privado como o WhatsApp ajudarão a levar informação vital, e em tempo real, da Organização Mundial da Saúde e dos agentes locais de saúde para milhões e milhões de utilizadores em todo o mundo”. Até ao momento, o WhatsApp trabalhou com vários ministérios de saúde e ONGs para oferecer informação objetiva aos usuários por meio de textos. À medida em que os esforços continuam, o centro é actualizado com as informações mais recentes.
O Director do Instituto Nacional de Estatísticas (INE) de Angola destacou este mês, durante a 51ª Comissão Estatística das Nações Unidas, em Nova Iorque, a importância do Relatório sobre a Pobreza Multidimensional dos Municípios para a melhor distribuição dos fundos governamentais e para o desenvolvimento de políticas públicas. Camilo de Ceita revelou ainda que o INE está a trabalhar para apresentar o primeiro Índice da Pobreza Multidimensional Nacional, com o apoio do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) em Angola e da Iniciativa pela Pobreza e Desenvolvimento Humano da Universidade de Oxford (OPHI).
O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e a Iniciativa pela Pobreza e Desenvolvimento Humano da Universidade de Oxford (OPHI) convidam-no a inscrever-se no curso online gratuito sobre o “Desenho do Índice da Pobreza Multidimensional (IPM)”.
Em 2020, o mundo comemora o 25º aniversário da adopção da Declaração e Plataforma de Acção de Pequim (Beijing + 25), uma agenda visionária para o empoderamento das mulheres e raparigas. Vários outros aniversários importantes também serão celebrados este ano, incluindo o 20º aniversário da Resolução 1325 do Conselho de Segurança das Nações Unidas (UNSCR 1325) sobre Mulheres, Paz e Segurança, o marco dos 5 anos dos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), o 10º aniversário da criação da ONU Mulheres pela Assembleia Geral e o 75º aniversário da ONU. Estes marcos proporcionam uma oportunidade única para reavaliar o progresso global no alcance da agenda de igualdade de género e para acelerar mudanças transformadoras.
O Quadro de Cooperação para o Desenvolvimento Sustentável, foi assinado pelo Ministro da Economia e Planeamento, Dr. Sérgio de Sousa Santos, em representação do Governo, pelo Coordenador Residente das Nações Unidas em Angola, Paolo Balladelli, bem como pelos líderes das agências das Nações Unidas, incluído o Representante do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) em Angola, Henrik Fredborg Larsen. O documento foi elaborado conjuntamente pelo Governo e pelo Sistema das Nações Unidas, sob a coordenação do Ministério da Economia e Planeamento e estabelece em que moldes o Sistema da ONU irá apoiar o Governo a atingir as metas globais da Agenda 2030 e os 17 Objectivos de Desenvolvimento Sustentável e quais serão as prioridades para ambas as partes durante os próximos dois anos.

Sobre Angola

Saiba Mais

30.175.553

Projecção da população (2019)

28,8%

Taxa de desemprego

3,8%

Indice de satisfação

71,01%

Taxa de alfabetização

Saiba Mais

PNUD PNUD no mundo

Você está em PNUD Angola 
Ir a PNUD Global

A

Afeganistão

Á

África do Sul

A

Albânia Angola Arábia Saudita Argélia Argentina Armênia Azerbaijão

B

Bahrein Bangladesh Barbados Belize Benim Bielorrússia Bolívia Bósnia e Herzegovina Botsuana Brasil Burkina Faso Burundi Butão

C

Cabo Verde Camarões Camboja Casaquistão Chade Chile China Chipre Colômbia Comores Costa do Marfim Costa Rica Cuba

D

Djibouti

E

Egito El Salvador Equador Eritréia Escritório do Pacífico Essuatíni Etiópia

F

Filipinas

G

Gabão Gâmbia Gana Geórgia Guatemala Guiana Guiné Guiné-Bissau Guiné Equatorial

H

Haiti Honduras

I

Iêmen Ilhas Maurício e Seychelles

Í

Índia

I

Indonésia Irã

J

Jamaica Jordânia

K

Kosovo Kuwait

L

Lesoto Líbano Libéria Líbia

M

Macedônia do Norte Madagascar Malásia Malauí Maldivas Mali Marrocos Mauritânia México Moçambique Moldova Mongólia Montenegro Myanmar

N

Namíbia Nepal Nicarágua Níger Nigéria

P

Panamá Papua Nova Guiné Paquistão Paraguai PDR do Laos Peru Programa de Assistência ao Povo Palestino

Q

Quênia Quirguistão

R

República Centro-Africana República Democrática do Congo República do Congo República do Iraque República Dominicana República Popular Democrática da Coreia Ruanda

S

Samoa (Escritório Multi-País) São Tomé e Príncipe Senegal Serra Leoa Sérvia Síria Somália Sri Lanka Sudão Sudão do Sul Suriname

T

Tailândia Tajiquistão Tanzânia Timor-Leste Togo Trinidad e Tobago Tucormenistão Tunísia Turquia

U

Ucrânia Uganda Uruguai Uzbequistão

V

Venezuela Vietnã

Z

Zâmbia Zimbábue