© PNUD em Angola

Realizou-se  no  dia 23 de Julho, em Luanda um workshop intitulado “Divulgação das actividades e descobertas do Painel Intergovernamental sobre as alterações climáticas (IPCC), organizado pelo Gabinete de Alterações Climáticas do Ministério do Ambiente e que contou com a participação dos vice-presidentes do IPCC, Thelma Krug e Youba Sokona, do Representante Residente do PNUD Henrik Larsen, entre outros ilustres convidados.

O workshop teve como objectivo aumentar a conscientização sobre o papel do IPCC e a importância do envolvimento dos governos para uma interface científica e política mais forte. Os representantes do IPCC frisaram, por um lado o ponto principal do Quinto Relatório de Avaliação publicado em 2014, e por outro lado, o Relatório Especial do IPCC sobre Aquecimento Global 1,5˚C publicado em 2018.

Salienta-se que dentro do Sistema das Nações Unidas, o IPCC é uma instituição cientifica que conseguiu ao longo dos anos criar consensos alargados sobre as causas e efeitos das alterações climáticas, bem como colocar essas questões no centro das discussões internacionais.

Dois temas recorrentes foram destacados: a necessidade das publicações científicas serem mais acessíveis para todos os públicos e a necessidade de aumentar a participação de membros africanos na redação dos relatórios do IPCC. Isso envolve a necessidade de uma linguagem de comunicação mais acessível, incluindo a literatura cinza para aprimorar o conhecimento através de fontes locais. Além disso, houve apenas 8% de contribuição do continente africano no último documento produzido pelo IPCC, o que é um paradoxo, pois é em África  que as pessoas são significativamente afectadas pelos fenómenos severos das alterações climáticas.

Além disso, é importante que os diferentes ministérios trabalhem em conjunto e reforcem suas iniciativas para alcançar uma resposta mais sustentável as alterações climáticas. Assim, é fundamental encontrar alternativas para que os diferentes ministérios se engajem com as universidades locais no acesso à informação no terreno visando as necessidades de Angola para o desenvolvimento sustentável.

PNUD PNUD no mundo

Você está em PNUD Angola 
Ir a PNUD Global

A

Afeganistão

Á

África do Sul

A

Albânia Angola Arábia Saudita Argélia Argentina Armênia Azerbaijão

B

Bahrein Bangladesh Barbados Belize Benim Bielorrússia Bolívia Bósnia e Herzegovina Botsuana Brasil Burkina Faso Burundi Butão

C

Cabo Verde Camarões Camboja Casaquistão Chade Chile China Chipre Colômbia Comores Costa do Marfim Costa Rica Croácia Cuba

D

Djibouti

E

Egito El Salvador Emirados Árabes Unidos Equador Eritréia Escritório do Pacífico Essuatíni Etiópia

F

Federação Russa Filipinas

G

Gabão Gâmbia Gana Geórgia Guatemala Guiana Guiné Guiné-Bissau Guiné Equatorial

H

Haiti Honduras

I

Iêmen Ilhas Maurício e Seychelles

Í

Índia

I

Indonésia Irã

J

Jamaica Jordânia

K

Kosovo Kuwait

L

Lesoto Líbano Libéria Líbia

M

Macedônia do Norte Madagascar Malásia Malauí Maldivas Mali Marrocos Mauritânia México Moçambique Moldova Mongólia Montenegro Myanmar

N

Namíbia Nepal Nicarágua Níger Nigéria

P

Panamá Papua Nova Guiné Paquistão Paraguai PDR do Laos Peru Programa de Assistência ao Povo Palestino

Q

Quênia Quirguistão

R

República Centro-Africana República Democrática do Congo República do Congo República do Iraque República Dominicana República Popular Democrática da Coreia Ruanda

S

Samoa (Escritório Multi-País) São Tomé e Príncipe Senegal Serra Leoa Sérvia Síria Somália Sri Lanka Sudão Sudão do Sul Suriname

T

Tailândia Tajiquistão Tanzânia Timor-Leste Togo Trinidad e Tobago Tucormenistão Tunísia Turquia

U

Ucrânia Uganda Uruguai Uzbequistão

V

Venezuela Vietnã

Z

Zâmbia Zimbábue