Como o projecto sobre carvão vegetal tem mudado a vida dos membros da comunidade de Ela Kipunda, província de Cuanza Sul, Angola

 

O Sr. Manuel Cabina Bumba é membro do Grupo de Acção Ambiental(GAA) da comunidade de Ela Kipunda, localizada na província de Cuanza Sul e é beneficiário do projecto “Promoção do carvão sustentável em Angola através de uma abordagem da cadeia de valor” (Projecto Carvão Sustentável).

“Abracei o projecto desde Novembro de 2017 quando soube que tinha  haver com a protecção do meio ambiente.  É a primeira vez que recebemos este tipo de projecto na nossa comunidade de Ela Kipunda”.

Através do financiamento do Fundo Global do Ambiente (GEF) e do PNUD, a ADPP, uma organização da sociedade civil em Angola, começou no mês de Fevereiro de 2018 a desenvolver viveiros de árvores frutíferas com os membros da comunidade de Ela Kipunda. O Sr. Manuel Cabinda Bumba diz:“aprendi que instalar um viveiro de árvores não leva muito tempo. Começamos no mês de Fevereiro de 2018, 2 meses depois, no final do mês de Abril, já conseguimos transplantar os batateiros, mangueiras, muringa, nespereiras e luzerna. Estamos felizes porque foi fruto do trabalho que envolveu todos na nossa comunidade. Antes da chegada deste projecto, tínhamos algumas árvores na comunidade, mas o sistema de plantio que usávamos era muito difícil porque só pegávamos na semente de uma fruta lançávamos numa cova e as vezes germinava. Agora sabemos que a forma que a ADPP usa, de colocar nos sacos, é mais seguro durante o transplante e rega.”  

Segundo o relato do Sr. Manuel, alguns membros da comunidade tinham dinheiro para comprar e plantar, já outros membros tinham interesse em plantar árvores, mas não possuíam recursos para tal. O Sr. Manuel ainda acrescenta que com a chegada do projecto Carvão Vegetal, “a comunidade está a aprender como criar plantas frutíferas que são importantes, porque são elas que purificam o ar que respiramos. Elas também ajudam a combater os efeitos das alterações climáticas. Este fenómeno está a acontecer e estamos a ver a que as chuvas estão a cair irregularmente nas nossas lavras, afectando o resultado das colheitas, que esta cada vez mais fraca. Se as pessoas não se juntarem para combater este fenómeno, as gerações futuras terão muitos problemas”.

 

Sobre o Projecto “Promoção do carvão sustentável em Angola através de uma abordagem da cadeia de valor”  

 

A forte procura por biomassa florestal causa uma enorme pressão sobre as florestas nativas em Angola. Para muitos pequenos agricultores, a produção de carvão vegetal transformou-se na principal fonte de renda. Além das consequências negativas sobre as florestas e a biodiversidade, a produção e o consumo ineficientes de carvão vegetal contribuem para as alterações climáticas. Estes processos têm também efeitos negativos na saúde dos produtores e consumidores desta fonte energética, em especial das mulheres e crianças. O projecto “Promoção do carvão sustentável em Angola através de uma abordagem da cadeia de valor” tem o objectivo de reduzir o modo insustentável e intensivo em emissões de gases de efeito estufa (GEE) na produção de carvão nas regiões das províncias de Cuanza Sul e Huambo. Como parte das actividades, inclui-se a formação de membros das comunidades na produção mais eficiente de carvão, identificação de espécies de árvores que combinam um bom crescimento e poder calorífico para serem utilizadas na produção de carvão vegetal com outros produtos madeireiros e não-madeireiros (como frutas, mel, etc.) e estabelecer viveiros para sua multiplicação e plantio.    

 

Texto original: ADPP Angola

Texto adaptado: PNUD Angola

Fotografia: ADPP Angola

 

 

PNUD PNUD no mundo

Você está em PNUD Angola 
Ir a PNUD Global

A

A ex-República jugoslava da Macedônia Afeganistão

Á

África do Sul

A

Albânia Angola Arábia Saudita Argélia Argentina Armênia Azerbaijão

B

Bahrein Bangladesh Barbados Belize Benim Bielorrússia Bolívia Bósnia e Herzegovina Botsuana Brasil Burkina Faso Burundi Butão

C

Cabo Verde Camarões Camboja Casaquistão Chade Chile China Chipre Colômbia Comores Costa do Marfim Costa Rica Croácia Cuba

D

Djibouti

E

Egito El Salvador Emirados Árabes Unidos Equador Eritréia Escritório do Pacífico Etiópia

F

Federação Russa Filipinas

G

Gabão Gâmbia Gana Geórgia Guatemala Guiana Guiné Guiné-Bissau Guiné Equatorial

H

Haiti Honduras

I

Iêmen Ilhas Maurício e Seychelles

Í

Índia

I

Indonésia Irã

J

Jamaica Jordânia

K

Kosovo Kuwait

L

Lesoto Líbano Libéria Líbia

M

Madagascar Malásia Malauí Maldivas Mali Marrocos Mauritânia México Moçambique Moldova Mongólia Montenegro Myanmar

N

Namíbia Nepal Nicarágua Níger Nigéria

P

Panamá Papua Nova Guiné Paquistão Paraguai PDR do Laos Peru Programa de Assistência ao Povo Palestino

Q

Quênia Quirguistão

R

República Centro-Africana República Democrática do Congo República do Congo República do Iraque República Dominicana República Popular Democrática da Coreia Ruanda

S

Samoa (Escritório Multi-País) São Tomé e Príncipe Senegal Serra Leoa Sérvia Síria Somália Sri Lanka Suazilândia Sudão Sudão do Sul Suriname

T

Tailândia Tajiquistão Tanzânia Timor-Leste Togo Trinidad e Tobago Tucormenistão Tunísia Turquia

U

Ucrânia Uganda Uruguai Uzbequistão

V

Venezuela Vietnã

Z

Zâmbia Zimbábue