© PNUD em Angola

As celebrações do Dia Internacional da Juventude  comemorou o seu 20º aniversário, e este ano pretendem chamar a atenção para a importância de tornar a educação mais inclusiva, acessível e pertinente para o mundo de hoje em dia. Está demonstrado que a educação de qualidade (ODS4) é um acelerador para que os jovens consigam empregos decentes e sejam sujeitos activos de desenvolvimento sustentável na sociedade.

Em Angola, o Conselho Nacional da Juventude (CNJ), em parceria com o Sistema das Nações Unidas e em colaboração dos Ministérios da Juventude, da Educação, da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social, realizou um evento para reflectir, conjuntamente com os jovens representantes das diversas plataformas juvenis da sociedade sobre questões ligadas à educação académica e técnico-profissional, emprego e empregabilidade, acesso a estágios profissionais.

O resultado de um investimento nos jovens de parte do Estado com políticas, programas e recursos – como salientado pelo Coordenador Residente da ONU em Angola, Paolo Balladelli – permitirá acelerar o alcance dos 17 Objectivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030.

O Coordenador elucidou que os jovens – de acordo as projecções do INE – serão dois terços da população angolana em 2020 e que essa foi uma das razões que levaram as Nações Unidas em Angola a dedicar uma componente importante do próximo Quadro de Cooperação com o país 2020-22 a resultados e metas no âmbito dos jovens: “Focamos na educação”, ressaltou o funcionário ONU, “na formação profissional e no emprego para os jovens; no empoderamento da mulher e da rapariga; na prevenção da violência de género; na inclusão e participação cívica dos jovens, e no seu acesso ao desporto e recreação, e à saúde. Tenho que destacar que a Educação de Qualidade (ODS4) é um acelerador para o empoderamento dos jovens, para que eles tenham empregos decentes e para que sejam sujeitos activos na sociedade angolana”.

Durante a discussão conjunta entre os jovens e os representantes das entidades públicas e agências das Nações Unidas, destacou-se que a formação profissional é fundamental para a juventude e para o desenvolvimento equitativo da sociedade angolana, e que é necessário um diagnóstico das oportunidades de emprego no mercado laboral privado e público, para orientar os programas de educação e de profissionalização do Estado, com o apoio da comunidade internacional. Ligações com empresas incubadoras de trabalho juvenil e estágios são necessárias para garantir a empregabilidade dos jovens.

Por outro lado, lembrou-se também a importância de potenciar a participação cívica dos jovens para que sejam actores de desenvolvimento nos vários âmbitos da Agenda 2030: na educação, na saúde, no acesso à vivenda, na ecologia, na construção da paz, na solidariedade internacional.

Mensagem do Coordenador Residente da ONU em Angola, Paolo Balladelli, por ocasião da celebração do Dia Internacional da Juventude.

Apresentação “Agenda 2030: Educação de Qualidade e Emprego para a Juventude” realizada por Lorenzo Mancini, Economista do PNUD

PNUD PNUD no mundo

Você está em PNUD Angola 
Ir a PNUD Global

A

Afeganistão

Á

África do Sul

A

Albânia Angola Arábia Saudita Argélia Argentina Armênia Azerbaijão

B

Bahrein Bangladesh Barbados Belize Benim Bielorrússia Bolívia Bósnia e Herzegovina Botsuana Brasil Burkina Faso Burundi Butão

C

Cabo Verde Camarões Camboja Casaquistão Chade Chile China Chipre Colômbia Comores Costa do Marfim Costa Rica Croácia Cuba

D

Djibouti

E

Egito El Salvador Emirados Árabes Unidos Equador Eritréia Escritório do Pacífico Essuatíni Etiópia

F

Federação Russa Filipinas

G

Gabão Gâmbia Gana Geórgia Guatemala Guiana Guiné Guiné-Bissau Guiné Equatorial

H

Haiti Honduras

I

Iêmen Ilhas Maurício e Seychelles

Í

Índia

I

Indonésia Irã

J

Jamaica Jordânia

K

Kosovo Kuwait

L

Lesoto Líbano Libéria Líbia

M

Macedônia do Norte Madagascar Malásia Malauí Maldivas Mali Marrocos Mauritânia México Moçambique Moldova Mongólia Montenegro Myanmar

N

Namíbia Nepal Nicarágua Níger Nigéria

P

Panamá Papua Nova Guiné Paquistão Paraguai PDR do Laos Peru Programa de Assistência ao Povo Palestino

Q

Quênia Quirguistão

R

República Centro-Africana República Democrática do Congo República do Congo República do Iraque República Dominicana República Popular Democrática da Coreia Ruanda

S

Samoa (Escritório Multi-País) São Tomé e Príncipe Senegal Serra Leoa Sérvia Síria Somália Sri Lanka Sudão Sudão do Sul Suriname

T

Tailândia Tajiquistão Tanzânia Timor-Leste Togo Trinidad e Tobago Tucormenistão Tunísia Turquia

U

Ucrânia Uganda Uruguai Uzbequistão

V

Venezuela Vietnã

Z

Zâmbia Zimbábue