undp-ao-diadoambiente
--- Image caption ---

Dia Mundial do Ambiente:  Protegendo a natureza em Angola através das Áreas de Conservação

O Dia Mundial do Ambiente foi instituído em 5 de Junho de 1972, na Assembleia Geral das Nações Unidas como resultado das discussões sobre a integração das interacções humanas e o ambiente. Desde que foi instituído, o Dia Mundial do Meio Ambiente (5 de junho) é a principal data das Nações Unidas para incentivar, em escala global, a sensibilização e a criação de iniciativas a favor do meio ambiente para a tomada de acções em relações a problemas como a poluição dos oceanos, as mudanças climáticas e o crime contra a vida selvagem.

Um dos problemas ambientais enfrentados em Angola e mundialmente é a perda da biodiversidade. Com o passar do tempo, muitas áreas naturais foram sendo destruídas. Animais e plantas foram eliminados, alguns desapareceram e outros, até os dias actuais, ainda correm risco de extinção. Nesse sentido, as Áreas de Conservação têm a função manter a representatividade do património biológico existente. Recorde-se que o Sistema de Áreas de Conservação de Angola foi criado durante o tempo colonial. Devido aos longos períodos de instabilidade no país (1975-2002) e às crescentes necessidades da população, muitas das áreas de conservação foram quase completamente abandonadas, deixando de ter financiamento, equipamentos ou pessoal adequado. Além disso, este sistema ainda não representa inteiramente os ecossistemas do país.

O,   Ministério do Ambiente de Angola (MINAMB), com apoio do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e financiamento do Fundo Global para o Ambiente (GEF), iniciou em 2016 a implementação do Projecto de Expansão e Fortalecimento do Sistema de Áreas Protegidas em Angola, que tem por objectivo melhorar a gestão do sistema de áreas protegidas de Angola, e a representatividade dos ecossistemas no mesmo, com devida consideração à sua sustentabilidade de uma forma geral, incluindo a sustentabilidade ecológica, institucional e financeira.

O projecto referido acima está orçado em 5,8 milhões de dólares e apresenta duas componentes de implementação, sendo a primeira focada na escolha e criação de novas áreas de conservação e fortalecimento da rede de áreas de conservação e capacitação do Instituto Nacional de Biodiversidade e Áreas de Conservação (INBAC). A segunda componente do projecto consiste na melhoria da gestão e infra-estruturas dos Parques Nacionais do Bicuar, Cangandala, Quiçama, Maiombe e Reserva Natural Integral do Luando.

Numa primeira fase, foram realizadas reuniões em todas as Áreas de Conservação envolvidas no projecto garantindo assim uma participação activa em todo o processo, bem como na tomada de decisão para representantes das comunidades, governo local, fiscais e outros interessados.

Até o momento, as acções implementadas representam grandes conquistas, nomeadamente o início da elaboração dos Planos de Gestão para os Parques Nacionais do Bicuar, Cangandala e Quiçama, o levantamentos da fauna para o Parque Nacional da Quiçama, Parque Nacional da Cangandala e Reserva Natural Integral do Luando, o sistema de rádiocomunicação para os Parques Nacionais da Cangandala e Bicuar e a construção de uma vedação turística para o Parque Nacional da Cangandala a serem emitidos brevemente. Igualmente, foram efectuadas a instalação de furos de água no Parque Nacional do Bicuar; a construção de postos de fiscalização no Parque Nacional do Bicuar e fornecimento de equipamentos para os funcionários das áreas de conservação envolvidas,bem como a elaboração do Mapeamento das Áreas de Conservação de Angola.

Em 2013 o Ministério do Ambiente de Angola (MINAMB), com a parceria do PNUD, iniciou a implementação do Projecto Nacional de Biodiversidade: Conservação do Parque Iona, financiado pela União Europeia e Fundo Global para o Ambiente (GEF). Este projecto foi encerrado em 2018, tendo contribuído para o recrutamento, treinamento e fornecimento de equipamentos para os fiscais do Parque Nacional do Iona. Além disso, foram renovadas e construídas infra-estruturas importantes para o Parque, um plano de gestão integrada foi desenvolvido e o projecto iniciou um trabalho de envolvimento das comunidades locais no turismo comunitário. No âmbito institucional, a principal conquista deste projecto foi a preparação de um plano estratégico para o Sistema de Áreas de Conservação (PESAC), além da elaboração de levantamentos da fauna de vários outros parques.

Siga o link para aceder o vídeo sobre o Projeto Iona que ilustra um pouco da riqueza natural e cultural do belo Parque Nacional do Iona: https://www.youtube.com/watch?v=K6EChGL8Djs--- Article text goes here ---

Icon of SDG 15

PNUD PNUD no mundo

Você está em PNUD Angola 
Ir a PNUD Global

A

A ex-República jugoslava da Macedônia Afeganistão

Á

África do Sul

A

Albânia Angola Arábia Saudita Argélia Argentina Armênia Azerbaijão

B

Bahrein Bangladesh Barbados Belize Benim Bielorrússia Bolívia Bósnia e Herzegovina Botsuana Brasil Burkina Faso Burundi Butão

C

Cabo Verde Camarões Camboja Casaquistão Chade Chile China Chipre Colômbia Comores Costa do Marfim Costa Rica Croácia Cuba

D

Djibouti

E

Egito El Salvador Emirados Árabes Unidos Equador Eritréia Escritório do Pacífico Etiópia

F

Federação Russa Filipinas

G

Gabão Gâmbia Gana Geórgia Guatemala Guiana Guiné Guiné-Bissau Guiné Equatorial

H

Haiti Honduras

I

Iêmen Ilhas Maurício e Seychelles

Í

Índia

I

Indonésia Irã

J

Jamaica Jordânia

K

Kosovo Kuwait

L

Lesoto Líbano Libéria Líbia

M

Madagascar Malásia Malauí Maldivas Mali Marrocos Mauritânia México Moçambique Moldova Mongólia Montenegro Myanmar

N

Namíbia Nepal Nicarágua Níger Nigéria

P

Panamá Papua Nova Guiné Paquistão Paraguai PDR do Laos Peru Programa de Assistência ao Povo Palestino

Q

Quênia Quirguistão

R

República Centro-Africana República Democrática do Congo República do Congo República do Iraque República Dominicana República Popular Democrática da Coreia Ruanda

S

Samoa (Escritório Multi-País) São Tomé e Príncipe Senegal Serra Leoa Sérvia Síria Somália Sri Lanka Suazilândia Sudão Sudão do Sul Suriname

T

Tailândia Tajiquistão Tanzânia Timor-Leste Togo Trinidad e Tobago Tucormenistão Tunísia Turquia

U

Ucrânia Uganda Uruguai Uzbequistão

V

Venezuela Vietnã

Z

Zâmbia Zimbábue