--- Image caption ---

“Os laboratórios abrem um espaço para a promoção de maior diálogo com os Inovadores Locais, para juntamente validar as soluções e acelerar o desenvolvimento. Precisamos re-imaginar o desenvolvimento no Século 21. Faltam apenas 10 anos para concluir a agenda 2030, para se alcançar os ODS.” afimou hoje o Representante Residente do PNUD em Angola, Henrik Fredborg Larsen, na cerimónia de apresentação do Laboratório  Acelerador em Angola, presidida pela Secretária de Estado para Assuntos Sociais da Presidência da República, Fátima Viegas.

Ainda na sua intervenção, Henrik Larsen sublinhou que para o PNUD "Os Laboratórios de Aceleradores são uma nova maneira de trabalhar no desenvolvimento. Os 60 laboratórios trabalharão em conjunto com parceiros nacionais e globais para encontrar abordagens radicalmente novas que se ajustem às complexidades dos actuais desafios de desenvolvimento. Juntos, eles formarão a maior rede de aprendizado no contexto do desenvolvimento sustentável”.

A Secretária de Estado para Assuntos Sociais da Presidência da República, Fátima Viegas, ao usar da palavra afirmou que “O PNUD é conhecido globalmente pela capacidade de promover juntos dos países a realização da Agenda 2030 de Desenvolvimento Sustentável. Angola reconhece a parceria e pretende reforça-la através de projectos concretos virados ao fortalecimento de políticas públicas, formação de liderança e capcitação institucional".

Por seu lado, a Secretária de Estado para Administração do Território, Laurinda Cardoso, reiterou que ”o Laboratório Acelerador é uma iniciativa inovadora, sendo necessário como habitual a articulação com os programas e projectos do Executivo Angolano, em particular o sistema de descentralização administrativa versus autarquia, bem como o engajamento do sector privado, a sociedade civil e os outros partidos políticos.

“O Acelerator Lab é uma iniciativa inclusiva e interventiva e vai contribuir com insumos para a participação dos cidadãos com diálogos eficientes e inclusivos com os mais diversos actores da sociedade civil, especialmente os jovens e as mulheres” salientou Idalina Valente Deputada da Assembleia Nacional.

O workshop que contou com a presença de importantes actores institucionais, das representações diplomáticas, do sector privado, da sociedade civil, entre outros convidados,  visou igualmente a apresentação da iniciativa ‘Luanda mais Verde: Reciclagem de Resíduos para Acelerar o Desenvolvimento Sustentável’.

A visão do Laboratório Acelerador em Angola está também alinhada a dois resultados do Plano Estratégico do PNUD 2018-2021, nomeadamente, "Tirar as pessoas da pobreza" e "Acelerar as transformações estruturais para o desenvolvimento sustentável”.

Refira-se que a iniciativa Laboratório Acelerador é uma ferramenta proposta pelo PNUD e se caracteriza como a maior rede de aprendizagem do mundo para catalisar soluções inovadoras de interação rápida e experimentativa, além disso pretende mudar a forma como se abordam globalmente os desafios de desenvolvimento humano e sustentável. É neste sentido, que conta com o financiamento do Estado do Qatar, a República Federal da Alemanhã e a República da Itália.

Leia na íntegra o discurso proferido pelo Representante Residente do PNUD em Angola, Henrik Fredborg Larsen

PNUD PNUD no mundo

Você está em PNUD Angola 
Ir a PNUD Global

A

Afeganistão

Á

África do Sul

A

Albânia Angola Arábia Saudita Argélia Argentina Armênia Azerbaijão

B

Bahrein Bangladesh Barbados Belize Benim Bielorrússia Bolívia Bósnia e Herzegovina Botsuana Brasil Burkina Faso Burundi Butão

C

Cabo Verde Camarões Camboja Casaquistão Chade Chile China Chipre Colômbia Comores Costa do Marfim Costa Rica Croácia Cuba

D

Djibouti

E

Egito El Salvador Emirados Árabes Unidos Equador Eritréia Escritório do Pacífico Essuatíni Etiópia

F

Federação Russa Filipinas

G

Gabão Gâmbia Gana Geórgia Guatemala Guiana Guiné Guiné-Bissau Guiné Equatorial

H

Haiti Honduras

I

Iêmen Ilhas Maurício e Seychelles

Í

Índia

I

Indonésia Irã

J

Jamaica Jordânia

K

Kosovo Kuwait

L

Lesoto Líbano Libéria Líbia

M

Macedônia do Norte Madagascar Malásia Malauí Maldivas Mali Marrocos Mauritânia México Moçambique Moldova Mongólia Montenegro Myanmar

N

Namíbia Nepal Nicarágua Níger Nigéria

P

Panamá Papua Nova Guiné Paquistão Paraguai PDR do Laos Peru Programa de Assistência ao Povo Palestino

Q

Quênia Quirguistão

R

República Centro-Africana República Democrática do Congo República do Congo República do Iraque República Dominicana República Popular Democrática da Coreia Ruanda

S

Samoa (Escritório Multi-País) São Tomé e Príncipe Senegal Serra Leoa Sérvia Síria Somália Sri Lanka Sudão Sudão do Sul Suriname

T

Tailândia Tajiquistão Tanzânia Timor-Leste Togo Trinidad e Tobago Tucormenistão Tunísia Turquia

U

Ucrânia Uganda Uruguai Uzbequistão

V

Venezuela Vietnã

Z

Zâmbia Zimbábue