Novo Projecto capacitará as comunidades para a produção sustentável de carvão vegetal

Mar 7, 2018

Em Angola, o carvão vegetal e a lenha representam uma importante fonte de energia para cozinhar. A forte procura por biomassa florestal causa uma enorme pressão sobre as florestas nativas do país. Para muitos pequenos agricultores, a produção de carvão transformou-se na principal fonte de renda. Além das consequências negativas sobre as florestas e a biodiversidade, a produção e o consumo ineficientes de carvão contribuem para as alterações climáticas. Estes processos têm também efeitos negativos na saúde dos produtores e consumidores desta fonte energética, em especial das mulheres e crianças.

Neste contexto, aconteceu no dia 21 de Fevereiro de 2018 em Sumbe, Província de Cuanza Sul, o evento de Lançamento do projecto “Promoção do carvão vegetal sustentável em Angola através de uma abordagem da cadeia de valor” (projecto carvão vegetal), que teve como finalidade apresentar um panorama do projecto e recolher as percepções e contribuições dos actores-chave na Província. O workshop contou com uma plateia diversificada, de destacar a presença do Vice-Governador da Província do Cuanza Sul, do Director Provincial de Agricultura, do Director Provincial de Urbanismo e Meio Ambiente e de representantes do Instituto de Desenvolvimento Florestal (IDF) Cuanza Sul, autoridades tradicionais (sobas), comunidades locais, produtores de carvão e sociedades civis.

Recorde-se que o Ministério do Ambiente em parceria com o PNUD e o GEF deram início em Outubro de 2016 do Projecto carvão vegetal, que visa reduzir as emissões de gases de efeito estufa na produção e no consumo de carvão vegetal, através de um conjunto integrado de intervenções na cadeia de valor deste produto.

De salientar que em 2017 teve início a formação de 5 comunidades rurais nas províncias de Cuanza Sul e Huambo na gestão florestal comunitária e no uso de métodos aprimorados de produção de carvão vegetal. Igualmente, o Projecto iniciará em 2018 um programa de treinamento com a duração de 2 anos para os funcionários do Instituto de Desenvolvimento Florestal em gestão florestal sustentável e com base na comunidade, produção sustentável de carvão vegetal e políticas.