Projecto de desenvolvimento agrícola no Cunene é avaliado

Jan 18, 2018

Ondjiva, 18 de Janeiro de 2018 - Uma equipa composta por Victória Correia da Conceição, Ministra da Acção Social e Promoção da Mulher, e pelos Secretários de Estado da Agricultura, Ambiente, MAPES, Comércio, com delegados das Nações Unidas, entre os quais Paolo Balladelli, Coordenador Residente da ONU em Angola e Representante Residente do PNUD, e o representante da FAO realizou uma missão ao terreno nos dias 17 e 18 de Janeiro para avaliar os resultados no desenvolvimento rural em comunas do município de Cuvelai da Província do Cunene.

O propósito da missão foi visitar as povoações, Dime, de etnia Khoisan, e Camicula, de etnias Gangula, Tchoqwe e Muhanda nas quais as famílias receberam formação e começaram actividades na área da apicultura para produção de mel e derivados. Embora a iniciativa seja recente, foi possível verificar que as famílias têm conseguido que a produção de mel tenha qualidade com uma técnica primordial e uso de colmeias escavadas nas cascas das árvores. No plano do projecto, está previsto a ampliação a uma produção mais industrial com a assistência do PNUD e do Ministério do Ambiente para permitir investir no uso de tecnologia mais avançada e centrada na protecção do ambiente.

A presença de vários Ministérios tem a ver com a procura de abrangência para esta iniciativa – como foi salientado no final da missão por Cundi Paiama, Governador do Cunene. A Ministra da Acção Social declarou que “esta iniciativa cria um mecanismo de protecção social das famílias mais vulneráveis que podem conseguir uma fonte de renda, apostando na participação das mesmas comunidades interessadas”.

“Pode considerar-se, se bem-sucedida, uma estratégia que converge na eliminação da pobreza”, considerou o Coordenador da ONU “enquanto enquadrada na implementação da Agenda 2030 dos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS)”.

A equipa, na reunião municipal sobre os resultados da missão, considerou oportuno ter em conta outras acções de integração no âmbito da comercialização, do saneamento básico, educação e analisar a viabilidade de levar este tipo de iniciativas a escala nacional ou subnacional, no caso das comunidades terem a confirmação da qualidade dos seus benefícios.

A Agenda 2030 dos ODS é um instrumento que foi acordado pelos Estados-membros da ONU em 2015 e tem o objectivo de acabar com a fome, a pobreza e criar uma aceleração para o desenvolvimento dos povos em todo o mundo.

Ninguém deve ser deixado para trás!