No Dia Internacional do Migrante, a ONU pede cooperação e solidariedade

Dec 18, 2017

Numa mensagem para marcar a data, o secretário-geral da ONU, António Guterres, disse que o mundo deve reconhecer as contribuições e celebrar a vitalidade de 258 milhões de migrantes.

As Nações Unidas marcam neste 18 de Dezembro o Dia Internacional do Migrante. O secretário-geral da organização, António Guterres, afirmou que a data é uma oportunidade para celebrar a vitalidade de 258 milhões de migrantes, atualmente no mundo.

Em mensagem, Guterres disse que é preciso reconhecer as contribuições e os benefícios econômicos, sociais e culturais gerados pelos migrantes.

Realidade

Segundo ele, o sentimento de hostilidade tem crescido, infelizmente, ao redor do mundo. E por isso mesmo, a solidariedade nunca foi tão urgente como agora.

Ainda em sua mensagem, o secretário-geral da ONU afirmou que a migração é um tema que sempre esteve presente.

Desigualdades

Guterres lembrou que as pessoas sempre se movimentaram à procura de novas oportunidades.  E que eventos como as mudanças climáticas, instabilidade, demografia além de um aumento de desigualdades e demandas não respondidas no mercado de trabalho, apontam que a migração veio para ficar.

O secretário-geral disse que o mundo precisa de uma cooperação internacional efetiva sobre a gestão da migração.

Remessas

"Os fenômenos globais exigem soluções globais. Não são compatíveis com soluções nacionais nem sequer com soluções regionais. Portanto, nós o que procuramos, o conjunto da comunidade internacional, com o conjunto das instituições internacionais, com as Nações Unidas, antes de mais, como seu secretário-geral, é encontrar soluções globais para o fenômeno da migração, da mobilidade das pessoas."

Segundo o Banco Mundial, os migrantes enviaram a casa em 2017 remessas no valor de US$ 596 bilhões. Deste total, US$ 450 bilhões foram destinados a países em desenvolvimento.

Pacto Global

Para António Guterres, a gestão da migração deve garantir que os benefícios dela serão distribuídos amplamente, e que os direitos humanos de todos os envolvidos serão protegidos de maneira apropriada, como é previsto pela Agenda 2030 sobre o Desenvolvimento Sustentável.

No ano passado, líderes mundiais se comprometeram em adotar o Pacto Global para Migração Segura, Ordenada e Regular em 2018. Para o chefe da ONU, é preciso fazer com que a migração funcione para todos.