Jornada Internacional da Juventude é celebrada no dia 12 de Agosto

Aug 12, 2017

A Jornada Internacional da Juventude é celebrada no dia 12 de Agosto, pela resolução da Assembleia Geral da ONU em 1999, em resposta à recomendação da Conferência Mundial de Ministros Responsáveis ​​pela Juventude, realizada em Lisboa de 8 a 12 de Agosto de 1998. A Conferência Mundial recomendou a data e tem encorajado os Estados Membros em organizar atividades públicas e informativas para apoiar o dia para promover melhor a conscientização do Programa Mundial de Jovens.

A ONU define como jovens aqueles com idade entre 15 e 24 anos; os jovens representam 18% da população global ou 1,2 bilhões de pessoas; 87% dos jovens vivem em países em desenvolvimento que enfrentam desafios provocados pelo acesso limitado a recursos, cuidados de saúde, educação, emprego, entre outros.

O Dia Internacional da Juventude 2017 realizou no passado sábado,  com o tema os ‘Jovens construindo a Paz´. O dia foi inteiramente dedicado  para celebrar as contribuições dos jovens fazem à prevenção e transformação de conflitos, bem como inclusão, justiça social e paz sustentável.

A Agenda de Desenvolvimento Sustentável de 2030 comprometeu-se a fomentar sociedades pacíficas e inclusivas e afirmou que "o desenvolvimento sustentável não pode ser realizado sem paz e segurança". O Objetivo 16 visa garantir a tomada de decisões receptiva, inclusiva, participativa e representativa em todos os níveis. O Programa Mundial de Acção para a Juventude, que fornece um quadro político e diretrizes práticas para melhorar a situação dos jovens, também incentiva "promover o envolvimento ativo da juventude na manutenção da paz e da segurança".

Desde a adoção da Resolução 2250 do Conselho de Segurança em 2015, há um crescente reconhecimento de que, como agentes de mudança, os jovens são actores críticos na prevenção de conflitos e na sustentação da paz. A geração actual de jovens é a maior da história e os jovens geralmente compõem a maioria em países marcados por conflitos armados ou agitação, portanto, considerando as necessidades e aspirações da juventude em matéria de paz e segurança é um imperativo demográfico.

A inclusão dos jovens na agenda de paz e segurança e na sociedade de forma mais ampla é fundamental para construir e sustentar a paz. O processo de inclusão social para a juventude, incluindo a participação na tomada de decisões, bem como o acesso a uma educação, cuidados de saúde e serviços básicos de qualidade, promove seu papel como contribuintes activos para a sociedade e oferece aos jovens oportunidade para atingir seu potencial e alcançar seus objetivos. Quando os jovens são excluídos das esferas e dos processos políticos, econômicos e sociais, pode ser um fator de risco para a violência e formas violentas de conflito. Portanto, identificar e abordar a exclusão social dos jovens é uma condição prévia para sustentar a paz.

Em Angola o PNUD apoia programas de empoderamento de jovens através de politicas estabelecidas pelo Governo e também organizações da sociedade civil, desde a formação profissional, inserção no mercado de trabalho e activdades de geração de renda.