"O amor faz uma família" é tema do Dia Internacional contra a Homofobia, Transfobia e Bifobia (IDAHOT) em 2017

May 17, 2017

O dia 17 de Maio marca o Dia Internacional contra a Homofobia, Transfobia e Bifobia (IDAHOT). O tema do IDAHOT "O amor faz uma família" é um lembrete importante do papel positivo que as famílias de apoio, em toda a sua diversidade, desempenham no apoio ao desenvolvimento de sociedades que incluem valor e benefício de todas as pessoas, independentemente da sua orientação sexual, identidade de género ou expressão e características sexuais. 

Enquanto alguns países e regiões têm mostrado progresso, em todas as regiões do mundo, as pessoas LGBTI continuam a ser vítimas de assédio, estigma, discriminação e muitas formas de exclusão social e económica. Conforme mencionado na declaração do Administrador Interino do PNUD, Tegegnework Gettu,  tal exclusão acarreta consequências negativas para as pessoas LGBTI, suas famílias, comunidades e países, e ameaça o alcance da Agenda 2030.

O IDAHOT nos proporciona uma oportunidade importante para destacar que o compromisso da Agenda 2030 assumido pelos Estados membros da ONU, para não deixar ninguém para trás, inclui pessoas LGBTI. Como uma das doze entidades da ONU que assinaram a Declaração Conjunta sobre a Eliminação da Violência e da Discriminação contra pessoas LGBTI, o PNUD deve continuar a apoiar indivíduos, famílias, comunidades e países para acabar com todas as formas de discriminação e estigmatização e promover os direitos ea inclusão de todas as pessoas . Através de nosso apoio a políticas e programas sobre HIV e direitos, estamos a trabalhar com os governos, sociedade civil e parceiros da ONU para criar ambientes jurídicos e de políticas que protejam e promovam os direitos das pessoas LGBTI. Nossos esforços regionais na África, Ásia e Europa Oriental estão a promover o diálogo político entre as comunidades LGBTI e os governos, para melhorar a inclusão LGBTI e acabar com a violência contra pessoas LGBTI. Em colaboração com a sociedade civil, trabalhamos com parlamentares para promover a inclusão de pessoas LGBTI. Finalmente, o PNUD está a apoiar as partes interessadas nacionais para recolher e produzir dados sobre o bem-estar económico, a educação, a saúde, a participação política e civil e a segurança física das pessoas LGBTI para informar as políticas e programas de desenvolvimento que apoiam a inclusão de pessoas LGBTI.

Como observou o Secretário-Geral das Nações Unidas, António Guterres, "a diversidade em todas as suas formas é um trunfo enorme e não uma ameaça". No dia de IDAHOT, abraçamos a diversidade em todas as suas formas e comprometemo-nos a intensificar ainda mais os nossos esforços para garantir que as pessoas LGBTI e suas famílias desfrutem dos seus direitos humanos e sejam plenamente incluídas na Agenda 2030.