A igualdade de género é responsabilidade de todos:lançamento da movimento ElePorEla em Angola

Mar 8, 2017

Luanda, 8 de março 2017. “Os direitos das mulheres são direitos humanos. No entanto, nestes tempos difíceis, em um mundo imprevisível e caótico, esses direitos são reduzidos, limitados e retirados. O empoderamento das mulheres e das raparigas é a única maneira de proteger os seus direitos e garantir que elas possam atingir seu pleno potencial”, assim o Secretário-Geral da ONU,  António Guterres,  apontou a relevância de priorizar o papel da mulheres em todas as esferas sociais, e apontou o compromisso das Nações Unidas em promover a liderança feminina.

Na véspera do Dia Internacional da Mulher, a ONU lançou em Angola a campanha “He4She– ElePorEla”, um movimento solidário, que encoraga homens e rapazes em todo o mundo a falar e agir contra as desigualdades enfrentadas pelas mulheres e raparigas, contra a discriminação e a violência da mulher. ElePorEla está fundada na ideia de que homens e rapazes são parceiros no caminho pela igualdade, e que irão se beneficiar tanto quanto as mulheres com a sua realização.

O evento de lançamento aconteceu no Mausoléu Agostinho Neto, com a participação da Ministra da Família e Promoção da Mulher, Dra. Filomena Delgado, do Ministro da Administração do Território, Dr. Bornito de Sousa, do corpo diplomatico, da sociedade civil e representantes das Nações Unidas, em especial as agências PNUD, UNAIDS, UNFPA,WHO e UNICEF. Na ocasião, o Coordenador Residente da ONU em Angola, Paolo Balladelli, reforçou o compromisso da ONU em garantir a promoção de programas voltados para a igualdade de gênero, com a participação de parceiros de todos os setores. “Somente poderemos falar em desenvolvimento social verdadeiro e sustentável  se todas as formas de violência contra a mulheres e raparigas forem eliminadas, se todas as desigualdade sociais e económicas forem eliminadas, e quando elas puderem ocupar os mesmos lugares que hoje são ocupados por homens”, enfatizou. “Não podemos mais admitir desrespeito às mulheres. Essa luta é de todos, não somente delas”, completou.

A manhã também foi de celebração à importância na mulher no processo democrático de Angola, com foco nas próximas eleições. O Ministro Bornito de Souza lembrou que as mulheres são 52% da população do país, então o voto feminino será fundamental para decidir os rumos da nação.

Campanha HeForShe em Angola

Para que o movimento ElePorEla seja bem sucedido em Angola, é fundamental que representantes dos setores públicos, social e corporativo estejam envolvidos. As Nações Unidas sugerem algumas formas de fazer parte dessa grande campanha mundial, que tem como foco a adesão de ao menos um bilião de homens e rapazes globalmente. Veja o que, em conjunto com sua instituição, pode ser feito:

1. Divulgar a campanha usando os canais de comunicação das vossas instituições;

2. Criar eventos para adesão à campanha ao nível provincial e municipal;

3. Identificar, dentro das vossas instituições, ao menos três áreas onde a desigualdade de género tenha impacto e onde possam fazer a diferença, e criar políticas e metodologias que deminuam ou eliminem esse quadro;

4. Criar espaços que assegurem a igualdade de género durante todas as vossas actividades e eventos;

5. Convidar formadores de opinião para discutir sobre a importância da liderança feminina e da responsabilidade dos homens nesse processo.