Prioridades de financiamento em urbanismo e habitação são temas de conferência em Talatona

Feb 21, 2017

Foto: ANGOP/2015

Luanda, 21 de janeiro de 2017 - O Centro de Conferências de Talatona foi palco de um importante diálogo coordenado pela Ministra do Urbanismo e Habitação, Branca de Espirito Santo. O encontro reuniu lideranças dos sectores público privado e social para discutir mecanismos de financiamento, marcos legais, estruturas alternativas de alianças e práticas internacionais em urbanização.  Organizado pelo Ministério do Urbanismo e Habitação (MINUHA), em parceria com a Comissão do Mercado de Capitais, a IMOGESTIN S.A, APIMA e o Fundo de Fomento Habitacional, a conferência teve a participação do Coordenador Residente das Nações Unidas, Paolo Balladelli, e da equipe da UN-Habitat, liderada por Thomaz  Ramalho.

Balladelli afirmou a importância de um trabalho estratégico em urbanização no processo de desenvolvimento social do país, sendo inclusive considerado um dos elementos-chave da agenda de graduação e de crescimento de Angola. A natureza intersectorial do tema levou as Nações Unidas a eleger a urbanização como assunto prioritário para um programa conjunto entre o Governo e a ONU.

Thomaz Ramalho apresentou modelos de sucesso internacional, com base na Declaração de Quito para as Cidades e Assentamentos Humanos Sustentáveis para Todos, também conhecida como Nova Agenda Urbana - aprovada em Outubro passado na Conferência das Nações Unidas para Habitação e Desenvolvimento Urbano Sustentável (Habitat III). Ramalho enfatizou a possibilidade de adaptar tais modelos à realidade angolana.

Com este exercício, as Nações Unidas e o Governo de Angola, por meio do MINUHA, dão mais um importante passo nos avanços dos Objectivos de Desenvolvimento Sustentáveis, em especial o Objectivo de Desenvolvimento Sustentável número 11, que foca em “tornar as cidades e assentamentos humanos inclusivos, seguros, resilientes e sustentáveis”, prevendo cidades e comunidades mais preparadas para as novas demandas urbanas, com atenção a questões ambientais, sanitárias e financeiras.