Comissão Nacional de Protecção Civil e PNUD testam resposta de emergência com apoio da OCHA

Feb 17, 2017

Cunene, 17 de fevereiro de 2017 - Decorreu na Cidade de Ondjiva, exercício de simulação de enchentes, organizado pela Comissão Nacional de Proteção Civil (CNPC) e PNUD, que contou com a parceria das Nações Unidas, particularmente do UNFPA, UNICEF e da UN OCHA.

Recorde-se que as secas provocadas pelo El Niño afectaram 1,2 milhões de pessoas em seis províncias do sul em Angola em 2015/2016. Os moradores locais afectados pela seca estão a fazer esforços consideráveis ​​para recuperar de seus impactos e construir resistência para desastres futuros. Como conseqüência do El Nino, este ano o efeito La Nina pode causar inundações no país, reduzindo ainda mais as vulnerabilidades dos mesmos moradores locais severamente afectados pelas secas prolongadas.

Com este exercício, o Governo de Angola, através da Comissão Nacional de Protecção Civil, pretende envolver a participação de todos os atores sociais e políticos na preparação às possíveis inundações causadas pela La Niña nos próximos meses. Igualmente, o exercício de simulação e lições aprendidas foi considerado relevante para os agentes locais da Protecção Civil para responder a possíveis emergências de inundações no futuro.

De salientar que participaram do evento 40 pessoas, principalmente profissionais de Gestão de Risco de Desastres (DRM) no Cunene, integrantes de importantes sectores da Comissão Provincial de Proteção Civil, SPCB e representantes de dois municípios, além do pessoal técnico Membros das agências das Nações Unidas (PNUD, OCHA, UNFPA, UNICEF, FAO e OMS), a Cruz Vermelha Angolana e uma Organização da Sociedade Civil.

Durante o exercício de simulação intensiva, o primeiro dia de capacitação foi facilitado pela CNPC e pela ONU. Além disso, no segundo dia os participantes reflectiram sobre a sua forma de actuação durante a simulação e formularam conjuntamente um Plano de Acção para melhorar o Plano Provincial de Contingência e os Procedimentos Operacionais Padrões (SOPs), especialmente nas áreas de coordenação e gestão da informação.

No final do exercício, os Directores Provinciais de Agricultura, Meio Ambiente / Urbanismo e Interior agradeceram a equipa de facilitação da CNPC / ONU pela a organização do exercício de simulação de resposta de emergência em Ondjiva. Eles mencionaram que este tipo de exercício ajuda a província a avaliar realmente como estão em termos de resposta em casos de emergências, e também a identificar as lacunas e chegar a algumas soluções, tais como melhorar a comunicação e facilitar decisões rápidas para fornecer assistência oportuna para as pessoas afectadas. A Proteção Civil Provincial sugeriu a organização futura, deste tipo de treinamento no campo nas comunidades rurais.

 

Ficha Técnica

Em 2014, para melhorar ainda mais a preparação para resposta e recuperação de desastres, o Governo angolano actualizou o Plano Nacional de Preparação, Contingência, Resposta e Recuperação para o período de 2015 a 2017.  A CNPC, em parceria com PNUD, tem vindo a implementar as componentes críticas do Plano Nacional no âmbito do projecto intitulado “Reforçar as Capacidades de Redução do Risco de Desastres e Construção da Resiliência.” Uma das componentes críticas é equipar províncias propensas a desastres com os planos provinciais de contingência. De 2015 a 2016, 8 províncias, incluindo o Cunene, foram assistidas pela CNPC e PNUD na avaliação de riscos e planeamento de contingência descentralizado. Os planos provinciais de contingência estabeleceram quadros, levando os governos provinciais a alocar orçamentos e facilitar a preparação e resposta a desastres. Em 2017, prevê-se desenvolver os Procedimentos Operacionais Padrões (SOPs) sejam necessários para testar o Plano Provincial de Contingência numa simulação que incidirá sobre os níveis de coordenação e o fluxo de comunicação em caso de emergência na Província do Cunene, e possivelmente outras províncias propensas a desastres.

A província de Cunene está sendo afectada fortemente por secas prologandas e cheias (efeito das alterações climáticas) e desde 2016 o PNUD em parceria com o Ministério de Ambiente (MINAMB) está a implementar o projecto: “Promoção do Desenvolvimento de Resiliência ao Clima e Reforço da Capacidade de Adaptação para Suportar Riscos na Bacia Hidrográfica do Rio Cuvelai” que tem várias componentes: criar um Sistema de Alerta Rápido, criar resiliência nas comunidades mais afeitadas através de projectos de agricultura, água e saneamento, asi como fortalecer as capacidades institucionais do Governo (Local e Nacional) para dar resposta de desastre oportuna.