Fórum de Parceiros do Desenvolvimento Sanitário de Angola reúne lideranças para promover sinergias em saúde

Feb 1, 2017

Luanda, 1 de fevereiro 2017. Com o objectivo de potencializar maior diálogo e cooperação no país e produzir sinergias a favor do Plano Nacional de Desenvolvimento com aliados bilaterais e multilaterais, aconteceu no dia 1 de fevereiro o Fórum de Parceiros do Desenvolvimento Sanitário de Angola, que contou com a presença de representantes do governo,  agências multinacionais, organizações não-governamentais e agências bilaterais,  com a coordenação do Ministério da Saúde.

Durante o encontro, as diferentes entidades partilharam considerações sobre a situação sanitária de Angola, apontando a necessidade de aprofundar o compromisso de todos nas prioridades da reforma proposta pelo Ministro de Saúde Luís Gomes Sambo.

Coube à Secretária de Estado Constantina Pereira Machado ilustrar os principais componentes a serem impulsionados, entre os quais a qualidade dos cuidados em saúde e a protecção sanitária; o sistema de referência e contra-referência dentre os três níveis do sistema sanitário nacional; a necessidade de recursos humanos profissionalizados e bem distribuídos; a necessidade de um sistema informativo ágil a partir da comunidade; o levantamento de recursos e mecanismos de financiamento adequados; e uma boa colaboração entre todos os sectores do Estado - como Água e Energia, Indústria, Educação, entre outros.

Este Fórum dedicou o seu primeiro encontro a permitir que os parceiros comentassem a proposta do Ministério e encaminhar um instrumento periódico para melhor alinhamento do trabalho das intituições presentes, tendo em vista a importância da coordenação entre os organismos nacionais, internacionais, governamentais e da sociedade civil.

Num contexto de epidemia de Cólera e de inicio já confirmado do Zica é preciso, afirmou o Ministro Sambo,  analisar as condições para continuar a consolidar o sistema de saúde, e ao mesmo tempo identificar componentes para a sua inovação, que serão essenciais na reforma do sector.

“A saúde é um pilar fundamental nos esforços para erradicar a pobreza”, assinalou Paolo Balladelli, Coordenador Residente das Nações Unidas. “Sob a liderança da autoridade nacional, a selecção dos indicadores mais apropriados no contexto da meta 4 dos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável, dedicada a saúde permitirá acelerar medidas estratégias para que fique clara a contribuição da saúde no desenvolvimento do País e na sua diversificação económica”, completou.

Ficou acordado que haverá um sólido mapeamento do trabalho dos parceiros nas prioridades da reforma do sector, melhorando, assim, as experiências e recursos já existentes, além de acelerar o uso de mecanismos de cooperação Sul-Sul e Triangular (com a ONU) para trazer ao país boas experiências internacionais que possam servir de boas práticas localmente.