Acções educativas celebram o Dia Nacional do Meio Ambiente em Namibe

Feb 1, 2017

Namibe, 1 de fevereiro de 2017 – O Dia Nacional do Meio Ambiente, celebrado no último dia 31 de janeiro, foi marcado por uma série de actividades em Namibe, com foco em desenvolvimento sustentável e educação ambiental. Organizado pelo governo provincial, com a coordenação da Ministra do Ambiente, Dra Fátima Jardim, autoridades nacionais e internacionais conheceram projectos de impacto socio-ambiental e puderam discutir oportunidades de trabalho conjunto.

As actividades começaram com a inauguração do Centro Agro-ecológico de Bibala, e foi seguida de uma acção de plantação de árvores, simbolizando os esforços do governo e da sociedade civil em proteger as áreas verdes do país. Em seguida, os convidados conheceram o processo de produção de sabão artesanal com óleo de frituras alimentares, importante fonte de renda para a população local e de empoderamento para as mulheres da região.

Já em Moçâmedes, cidade a oito quilômetros de Namibe, foi apresentada a fábrica de polimentos de mármore, que entrou em funcionamento em 2016 e vem a contribuir para a geração de novos  empregos e melhoria do bem-estar da população, além de incentivo ao sector da geologia do país. A extracção da matéria prima é local, o que reduz o impacto ambiental e optimiza a capacidade de produção.

“As mudanças climáticas são um fenómeno global que está a degradar o ambiente. O Ministério de Ambiente angolano, o governo provincial de Namibe, e as comunidades – com apoio dos parceiros como as Nações Unidas –  estão a materializar as boas prácticas, como esta que hoje conhecemos, para adaptação e protecção”, frisou o Coordenador Residente das Nações Unidas Paolo Balladelli.

“Foi gratificante conhecer mais de perto iniciativas tão relevantes para o contexto ambiental de Angola”, frisou o funcionário da ONU. “Agradeço ao Governador Provincial de Namibe, Senhor Rui Falcão, por unir esforços para que o Dia Nacional do Meio Ambiente seja um momento educativo e de sensibilização, para os líderes do país e para a população angolana. As alterações climáticas são urgentes, e as demandas por acções são imperativas”, completou.

O dia terminou com palestras sobre o Programa Nacional de Adaptação, o Programa Nacional de Seca e Desertificação, e Ecoturismo, fundamental no processo de diversificação da economia de Angola. Também estiveram presentes os Ministros do Ambiente de Marrocos e de Portugal, Hakima El Haite e João Pedro Matos Fernandes; o representante da FAO em Angola, Mamadou Diallo; a Ministra de Economia Florestal e o Diretor Geral do Ambiente da República do Congo, Jean Felix Mupande.