Assinalou-se o Dia Mundial de Luta Contra a SIDA

Dec 1, 2016

Luanda, 01 de Dezembro 2016 – O Dia Mundial de Luta Contra a SIDA é comemorado a nível mundial no dia 01 de Dezembro.

Com a parceria do Sistema das Nações Unidas em Angola e outros parceiros, o Ministério da Saúde através do Instituto Nacional de Luta Contra a SIDA, realizaram na manhã de quinta feira, no anfiteatro da Escola de Formação de Técnicos de Saúde de Luanda, a actividade comemorativa em saudação a data, sob o lema ‘’Mãos para Cima na Prevenção do VIH’’.

O acto central, contou com a participação de Sua Excias. Ministro da Saúde, Luis Gomes Sambo, Ministra da Família e da Promoção da Mulher, Filomena Delgado, do Coordenador Interino do Sistema das Nações Unidas em Angola, Hernando Agudelo, e da Directora da ONUSIDA em Angola, Sihaka Tsemo. O evento contou igualmente com a presença de ilustres convidados, designadamente Secretários de Estado, Deputados da Assembleia Nacional, membros do Corpo Diplomático, funcionários do Sistema das Nações Unidas em Angola, da Embaixadora da Boa Vontade da ONUSIDA para Angola, Yola Semedo, que passou a sua mensagem e brindou o evento com uma música.

A comemoração do dia Mundial de Luta Contra a SIDA tem como objectivo de alertar as populações a nível mundial para a necessidade de prevenir novas infecções e de precaução contra o vírus da SIDA que ataca o sistema sanguíneo e imunológico do paciente. A data tem ainda o objectivo de render homenagem às pessoas falecidas vitimas de SIDA e solidarizar-se com as pessoas vivendo com o VIH. São cinco as formas de transmissão do VIH/SIDA: Relações sexuais, contacto com sangue infectado, de mãe para filho, durante a gravidez, parto ou pela amamentação. Até à data estima-se que 65 milhões de pessoas já foram infectadas pelo VIH/SIDA com um saldo de mais de 30 milhões de vitimas mortais desde que a doença foi identificada pela primeira vez, em 1981.

O Dr. Hernando Agudelo no acto da leitura da mensagem do Secretário Geral da ONU em alusão a efeméride, frisou que a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, foi adotada pelos líderes mundiais com a promessa de não deixar ninguém para trás. Isso é tão importante quanto a luta contra a SIDA. Apoiar jovens, pessoas vulneráveis ​​e marginalizadas irá mudar o curso da epidemia. O quadro estratégico da ONUSIDA está alinhado com os Objectivos de Desenvolvimento Sustentável, que destacam como a resposta ao VIH não está isolada, mais sim multissectorial com uma abrangência na educação, na igualdade de gênero e nos direitos humanos.

Por sua vez, a Dra. Sihaka Tsemo, frisou que o mundo comprometeu-se a pôr fim à epidemia de SIDA até 2030 como parte dos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável. Estamos vendo que os países estão entrando no Fast-track e mais de 18 milhões de pessoas estão agora em tratamento do VIH e muitos países estão no caminho de praticamente eliminar a transmissão do VIH de mãe para filho. Acrescentou que como parceiro, podemos atestar dos esforços contínuos do executivo angolano no sentido de priorizar na resposta a redução de novas infecções, melhorando o acesso a testagem e a tratamento das mulheres gravidas seropositivas, de priorizar a atenção a juventude e as jovens raparigas em particular; e a educação através do programa interministerial de Educação Sexual Abrangente, a capacitação dos professores e o combate a estigma e discriminação, com uma inclusão cada vez maior das populações chaves (como os homens que fazem sexo com outros homens, trabalhadoras de sexo e transgéneros) na resposta e a busca de estratégias para melhorar a disponibilidade e o acesso a tratamento para os que mais precisam.

Angola comprometeu-se na nova estratégia e no procedimento acelerado para atingir 90 por cento de pessoas seropositivas, 90 por cento de pessoas testadas em tratamento e 90 por cento de pessoas em tratamento com supressão da carga viral (Meta 90/90/90). Isto significa redobrar os esforços e coordenar melhor a resposta multissectorial.