O MINISTÉRIO DO AMBIENTE COM O APOIO TÉCNICO E FINANCEIRO DO PNUD E GEF LANÇA INICIATIVA PARA PROMOVER A PRODUÇÃO DE CARVÃO VEGETAL DE FORMA SUSTENTÁVEL

Oct 28, 2016

Luanda, 28 de Outubro de 2016 – Em Angola, a maior parte das famílias rurais dependem do carvão vegetal e da lenha tradicional para cozinhar. O crescimento populacional e, consequentemente, o aumento da procura por energia têm gerado uma forte demanda por essa biomassa nas áreas periurbanas e rurais, causando assim uma forte pressão sobre as florestas nativas de Angola. A produção e o consumo ineficientes de carvão contribuem para as alterações climáticas. Também tem efeito negativo na saúde dos produtores e consumidores desta fonte energética, sendo os mais afectados mulheres e crianças. Neste contexto em resposta a esses desafios, o Ministério do Ambiente representado pelo Director do Gabinete das Alterações Climáticas, Giza Gaspar Martins em parceira com o PNUD marcado pela presença do  Director do Programa para o país, Henrik Fredborg Larsen e o Fundo Global para o Ambiente (GEF) deram início na passada sexta feira, nas instalações do Hotel Skyna ao lançamento das actividades do projecto “Promoção do carvão vegetal sustentável em Angola através de uma Abordagem da Cadeia de Valor”.

Este projecto, que recebe o financiamento a fundo perdido do GEF no valor de US$ 4.620.000, durante o período de 6 anos, desenvolverá uma série de acções ao longo da cadeia de valor do carvão vegetal, que vai desde o processo de transformação da lenha em carvão até o consumidor final. Essa abordagem beneficiará os produtores e os consumidores, com a inserção de tecnologias mais eficientes para produção do carvão e fogões melhorados; mitigará as emissões de gases de efeito estufa (GEE); e poupará os recursos de biomassa de base florestal. O projecto irá igualmente fortalecer os recursos humanos nacionais.

Nos últimos anos, o PNUD lançou-se em iniciativas para promover o carvão sustentável em vários países da África subsariana, incluindo a Serra Leoa, o Uganda e a Zâmbia (todas financiadas pelo GEF) e Costa do Marfim e Gana (estudos NAMA financiados pelo PNUD). Sob a Iniciativa Global Sustainable Energy for All (SE4All), Angola concluiu em 2015 uma análise das lacunas do sector energético, que incluiu recomendações para a produção e utilização mais eficiente do carvão vegetal. O projecto, financiado pelo GEF-PNUD e apresentado pelo MINAMB, está alinhado com as recomendações sobre carvão vegetal que constam no relatório SE4ALL, especificamente o desenvolvimento de uma base de dados, de produção de carvão vegetal, fornos eficientes, e de sensibilização.

Além do MINAMB e o PNUD, o evento também reuniu representantes do Instituto de Desenvolvimento Florestal (IDF); Centro de Ecologia Tropical de Alterações Climáticas (CETAC); Universidade José Eduardo dos Santos no Huambo (UJES); e dos Ministérios de Energia e Águas (MINEA), da Agricultura (MINAGRI), do Comércio (MINCO), dos Petróleos (MINPET), da Indústria (MIND), da Comunicação Social (MCS), da Educação (MED),das Finanças (MINFIN), da Hotelaria e Turismo (MINHOTUR); Sociedade civil e parceiros locais.