Empreendimento da mulher rural é objecto de análise no Fórum Nacional em Malanje

Oct 14, 2016

Luanda, 14 de Outubro de 2016 – Sob o lema ´´Reforcemos o Papel da Mulher Rural para os Desafios da Diversificação da Economia´´, a Ministra da Família e Promoção da Mulher, Filomena Delgado, o Governador da Província de Malange, Norberto Fernandes Dos Santos e o Coordenador Residente do Sistema das Nações Unidas em Angola e Representante do  PNUD em Angola, Paolo Balladelli, presidiram o 9º Fórum Nacional da Mulher Rural, de 14 - 16 do mês em curso no norte de Angola, na província de Malanje. Participaram vários sectores do Executivo Angolano, os Vice-governadores das províncias de Malange, Huambo, Bié, a Academia, a Polícia Nacional, e membros da sociedade civil, incluíndo sobas e agentes tradicionais.

O referido Fórum Provincial da Mulher Rural, assinala o Dia Mundial da Mulher Rural e centra a sua atenção nas principais estratégias e projectos que contribuem para a concretização das recomendações apresentadas em 2014, por ocasião do Fórum Nacional de Auscultação à Mulher Rural: promover as capacidades e o empoderamento socioeconómico da mulher rural, para fortalecer a sua resiliência e o combate à pobreza.

O Coordenador da ONU, indicou a importância para o Governo angolano de continuar a procura de caminhos concretos, que deverão ser acelerados e ampliados, para materializar os Objectivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda pós 2015. Frisou Balladelli que ´´A mulher rural é responsável pela metade da força de trabalho na agricultura a nível mundial e que as mudanças climáticas e a degradação ambiental, os desastres naturais, bem como as condições económicas desfavoráveis estão a determinar no continente africano uma crescente instabilidade para as famílias e as comunidades rurais. Dificuldades em criar condições de melhoramento das rendas familiares nas áreas rurais representam um obstáculo no acesso à alimentação, educação, saúde, água, habitação digna e terra, com a migração e urbanização acelerada que pode determinar aumento do desemprego e violência.

Várias entidades da ONU estão a trabalhar conjuntamente com o Executivo, em particular com o Ministério da Família e Promoção da Mulher e os ministérios sectoriais, assim como os governos provinciais e a sociedade civil na formação e associação de mulheres para o empreendimento em agricultura, pecuária e pesca, incluindo a comercialização dos produtos e o acesso aos mercados para aumentar as rendas familiares. Outros trabalhos são realizados em alfabetização, educação financeira, direitos da mulher e aconselhamento para vítimas de violência, saúde e nutrição. Além disso, as transferências monetárias são outros mecanismos que estão a ser experimentados para beneficiar mulheres chefes de família, viúvas e em condições de pobreza extrema, que pretendem abrir perspectivas de desenvolvimento familiar.

Leia o Discurso do Coordenador Residente da ONU e Representante Residente do PNUD em Angola