Ministério da Saúde e o PNUD assinam novo financiamento do Fundo Global para uma resposta coordenada na luta contra o VIH e SIDA e Malária em Angola

Aug 4, 2016

Luanda, 4 de Agosto 2016- O Ministro da Saúde, Luis Gomes Sambo e o Coordenador Residente e Representante Residente do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), Paolo Balladelli assinaram o Acordo de VIH /SIDA, no valor de 30 milhões de dólares financiados pelo Fundo Global para o período 2016-2018. Este valor permitirá adquirir fármacos e testes para o VIH, formar profissionais de saúde, das prisões e policias contra o estigma, proteger os direitos dos grupos em risco, implementar novos padrões de atenção para esses grupos e analisar o contexto legal. O resultado dessa acção que visa melhorar a qualidade da prevenção e do tratamento do VIH/SIDA, será possível através de uma resposta coordenada e permitirá reduzir as novas infecções pelo VIH em Angola e, ao mesmo tempo, aumentar a cobertura do tratamento anti-retroviral, garantindo um melhor acesso ao tratamento.

Durante a cerimónia oficial o Representante Residente do PNUD em Angola, sublinhou a importância de ter em conta novos desafios relativos ao controlo e prevenção do VIH/SIDA junto das populações vulneráveis. “É através do aumento da testagem e aconselhamento, bem como o desenvolvimento de campanhas educativas dirigidas às meninas fora da escola que poderemos eliminar o VIH-SIDA da nossa população. A nova abordagem inclui o reforço dos serviços de prevenção para profissionais do sexo e para homens que fazem sexo com homens, assim como as pessoas de diversidade sexual” declarou o alto funcionário das Nações Unidas em Angola, destacando também “que sessões de formação para reduzir o estigma e a discriminação, serão orientadas para os trabalhadores de saúde, trabalhadores de estabelecimentos prisionais e da polícia nacional, para permitir e ajudar a mudar a situação a favor de toda a população e do desenvolvimento do país”.

Paolo Balladelli, Coordenador Residente da ONU e Representante do PNUD em Angola, sublinhou que "O PNUD em conjunto com o Fundo Global, Agências da ONU e ONGs de apoio, tem o prazer de apoiar o Governo de Angola numa área tão crucial como a luta contra o VIH/SIDA. Vamos trabalhar lado a lado para aumentar a eficiência da prestação de serviços de HIV, com a assistência e o engajamento de todos os parceiros envolvidos".

De salientar que, estes Acordos foram endosados pela Presidente do MCN, Ana Paula Inés Ndala Fernando e pelo Representante da Sociedade Civil e Vice-Presidente do MCN, António Coelho. Igualmente, foi assinado o Acordo de Implementação entre o PNUD e o Instituto Nacional de Luta contra a SIDA (Sub-Recipiente) pela Directora do INLS Dra. Lúcia Furtado e pelo Representante Residente do PNUD, Paolo Balladelli.

Recorde-se que, o novo financiamento do Fundo Global será implementado pelo PNUD até Junho de 2018, em parceria com o Instituto Nacional de Luta contra a SIDA (INLS) e de outras organizações. Ele irá reforçar os esforços de prevenção do HIV, através do aumento da testagem e aconselhamento, bem como o desenvolvimento de campanhas educativas dirigidas às meninas fora da escola, o reforço dos serviços de prevenção para profissionais do sexo e para homens que fazem sexo com homens.

Neste sentido, uma atenção especial será dada aos direitos humanos que incluirá o desenvolvimento do primeiro Plano Estratégico Nacional com as directrizes sobre as populações de maior risco e que necessitam de apoio, conjuntamente com uma avaliação do ambiente legal.