Director de Operações Global da OCHA prossegue a missão com visita às zonas vulneráveis no Sul de Angola

Jun 25, 2016

Luanda, 25 de Junho de 2016 – Uma Delegação constituída pelo Director de Operações Global da OCHA, John Ging, o Coordenador Residente das Nações Unidas em Angola, Paolo Balladelli, delegados das Agências do Sistemas das Nações Unidas, deslocaram-se hoje às províncias de Huíla e Cunene, para uma visita às localidades beneficiadas pela campanha de vacinação contra a epidemia da febre amarela, bem como as zonas vulneráveis aos efeitos adversos do fenómeno El Niño.

Ainda, durante a sua missão, John Ging realizou uma visita de trabalho ao Vice-governador para o sector Político e Social da província do Cunene, José do Nascimento Veyelenge, o Administrador Municipal de Cahama e outras importantes autoridades locais.

Esta deslocação constitui também uma oportunidade para visitar e conhecer de perto os trabalhos em curso nas estruturas instaladas para a Campanha de vacinação contra a febre amarela nos municípios de Cahama e Cuanhama de Onjiva, bem como a resposta à situação de desnutrição devido às secas. Um ponto especifico desta missão foi a monitorização da colaboração para a emergência financiado pela OCHA e implementado pela ONU e outros parceiros como se Visao Mundial, CUAMM, ADPP entre outros. De realçar que a UNICEF fornece assistência nutricional e reabilitação de poços de água,a FAO disponibiliza sementes e assistência veterinária, a OMS concede formação em nutrição e assistência médica e o PNUD apoia na coordenação e avaliação das acções para aumentar a resiliência.

A missão considerou como complexa, a situação da distribuição demográfica (população dispersa na área rural) e das mudanças climáticas, reconheceu o trabalho realizado pelo Governo e parceiros assim como a necessidade de continuar a profundar os dados de situação para, em conjunto com os outros países da SADC, ter os elementos necessários para planificar e realizar a mobilização de recursos. Também foi reconhecida a necessidade de incluir, para além da assistência humanitária, estratégias e programas de meio e longo prazo, em particular para fomentar e construir hipóteses de desenvolvimento das famílias e comunidade, que aumentem a sua resiliência e facilitem a produção de alimentos para atingir a segurança alimentar.

Salienta-se,  também que o Director de Operações Global da OCHA, John Ging recebeu as solicitações das autoridades, das Agências da ONU e das ONG,  para criação de condições com vista a uma adequada entrega de vacinas ao Pais, de forma a bloquear a expansão da epidemia de febre amarela. A resposta à epidemia de febre amarela em Angola tem foco em cinco componentes: a vigilância, o controlo do mosquito, a assistência dos casos clínicos, a mobilização social e a campanha de vacinação nos municípios com surto em curso.