Garantir o sucesso dos ODS é prioridade máxima do PNUD

Jun 16, 2016

Administradora mundial do Programa, Helen Clark reafirma compromisso da Agenda 2030 em "não deixar ninguém para trás".

A administradora mundial do PNUD, Helen Clark, afirmou que garantir o sucesso da Agenda 2030, um plano ambicioso que inclui os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), continua como uma das maiores prioridades da organização.

“O apoio à implementação da Agenda 2030 é uma prioridade máxima ao PNUD”, disse Helen Clark durante a sessão de abertura da reunião do Comitê Executivo da organização, em Nova York, na última quarta-feira 8, ressaltando que a Agenda foi concebida para enfrentar alguns dos principais desafios globais durante a próxima década e meia.

“O PNUD tem um conhecimento temático especializado para oferecer, não apenas em relação à erradicação da pobreza; redução das desigualdades; governança democrática; no meio ambiente e mudança do clima; redução do risco de desastres; gênero; saúde; e nosso trabalho em contextos frágeis”, declarou.

 “Promoveremos o apoio ao programa de países para o acesso a financiamento para o desenvolvimento sustentável, e para encontrar uma combinação correta de recursos, tecnologia, e assistência para conduzir progressos nacionais nos ODS”, acrescentou.

A administradora do PNUD disse que trabalhará com os programas dos países para monitorar, aprender, relatar e aplicar lições aprendidas na implementação dos ODS, construídas na experiência da organização com os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM).

Ela assinalou ainda que o PNUD participou da Cúpula Mundial Humanitária em Istambul, em maio.

“Enfatizamos que, para honrarmos o compromisso da Agenda 2030 em “não deixar ninguém para trás”, grandes esforços devem ser feitos para trabalhar mais efetivamente entre as esferas humanitárias, de desenvolvimento e da construção da paz”, disse Helen Clark.

O “Compromisso de Ação”, assinado pelo PNUD e outras sete agências em Istambul, e endossado pelo Banco Mundial e a Organização Internacional para as Migraçãos (OIM), compromete o PNUD com esse objetivo, acrescentou.

Ela também discutiu a implementação do novo Plano Estratégico do PNUD e as reformas em curso para tornar a organização mais efetiva e eficiente.

“Um maior foco para o trabalho do PNUD foi um objetivo do atual Plano Estratégico. Nós podemos mostrar que o nosso trabalho no programa dos países está bem alinhado com o nosso Plano Estratégico, correspondendo o objetivo com a ação em uma maior extensão do que antes”, afirmou.

Helen Clark também disse que a Revisão de Meio Termo (RMT) do Plano Estratégico do PNUD reafirma o compromisso do PNUD e disponibiliza o apoio para a implementação da Agenda 2030.

“Em linhas gerais, a RMT conclui que o pilar institucional do PNUD é mais robusto: a organização está mais aberta e transparente; nossa sede foi reorganizada com sucesso; custos operacionais foram reduzidos significativamente; mais colaboradores e serviços de suportes foram alocados nos escritórios regionais próximos aos Escritórios de Países em que servem; programas são concebidos em padrões superiores; e o monitoramento e avaliação foram aperfeiçoados”.

“Em linhas gerais, o RMT mostrou que investimentos no aperfeiçoamento da performance institucional estão tendo um impacto positivo no desenvolvimento de resultados”, acrescentou.

Concluindo suas observações, Helen Clark disse: “Nós continuaremos a nos empenhar para termos resultados de alta qualidade em nosso trabalho e para guiar e promover ampla coerência e colaboração com o sistema de desenvolvimento da ONU”.

Fonte: http://www.pnud.org.br/Noticia.aspx?id=4329