Histórica assinatura em Nova Yorque da Ministra Fatima Jardim para ratificar a vontade de Angola de implementar o Acordo de Paris

Apr 22, 2016

Luanda, 22 de Abril de 2016. Hoje em Nova Yorque, a Ministra do Ambiente de Angola, Fátima Jardim,  assegurou a ratificação de Angola do Acordo sobre as Alterações Climáticas, aprovado em Paris por 195 países em Dezembro do ano passado. Nas negociações para o Acordo Climático, foi determinante a liderança de Angola como Presidente dos Países Menos Desenvolvidos. Este acordo obriga todos os países do planeta a medidas que permitam manter o aumento da temperatura do planeta a menos de 2 graus centígrados desde a época pré-industrial, e realizar todo esforço possível para limitar a menos de 1,5ºC.

Um número recorde de países são esperados para assinar o histórico Acordo Climático, numa cerimónia oficial dirigida pelo Secretário-Geral Ban Ki-moon. Mais de 130 países confirmaram que  vão assinar o Acordo de Paris e mais de 60 chefes de Estado e de Governo estarão presentes na cerimónia que coincide com o Dia Internacional da Terra.

A cerimónia de assinatura vai marcar o primeiro passo para assegurar que o Acordo de Paris entra em vigor o mais cedo possível. O acordo entrará em vigor 30 dias após pelo menos 55 países, representando 55 por cento das emissões globais de gases de efeito estufa, depositarem os seus instrumentos de ratificação ou de aceitação junto do Secretário-Geral.

Antecedendo a assinatura do Acordo de Paris em Nova Yorque, o Ministério do Ambiente realizou no dia 8 de Abril do corrente ano, um Workshop de Apresentação do Acordo de Paris sobre as Alterações Climáticas que contou com a presença de representantes do Executivo Angolano, bem como das Nações Unidas, dos sectores público e privado, das ONGs, da Sociedade Civil, entre outros.

Recorde-se que, Angola esteve representada na 21ª Conferência das Partes da Convenção Quadro das Nações Unidas sobre as Alterações Climáticas por uma importante Delegação chefiada pelo Vice-presidente, Manuel Vicente, a Ministra de Ambiente, Fatima Jardim e o Representante das Nações Unidas em Angola, Paolo Balladelli.

Durante este período, a Delegação teve uma participação estratégica nas negociações e realizou importantes encontros de trabalho, incluindo com a Administradora do PNUD, Helen Clark.

Embora Angola já tenha planos traçados para responder às normas do Acordo de Paris, incluindo estratégias multissectoriais para a adaptação de um novo modelo de desenvolvimento económico de baixa emissão, de segurança alimentar, de energias renováveis e hídricas na área da agricultura, ainda é necessário adicionar politicas e programas com orçamento assinado. De sublinhar que com a assinatura do Acordo de Paris, os países industrializados comprometeram-se em apoiar os países em vias de desenvolvimento com um financiamento de 100 mil milhões de dólares disponíveis para os programas de adaptação.

Mais informações, visita a página oficial do evento: http://www.un.org/sustainabledevelopment/climatechange/