Missão das Nações Unidas avalia resultados da resposta à Febre Amarela no Huambo

Apr 15, 2016

Huambo, 15 de Abril de 2016. O Coordenador Residente das Nações Unidas em Angola, Paolo Balladelli efectuou uma missão de dois dias à Província do Huambo, onde teve início esta semana a campanha de vacinação para bloquear o surto da febre amarela.

Durante os encontros com o governador em exercício, Calunga Francisco Quissanga, e o Director Provincial da Saúde, Frederico Juliana, o funcionário da ONU, que realizou a visita acompanhado pelo  Representante da OMS e pela Responsavel de Comunicação Social da UNICEF, apelou a necessidade de se juntarem todos os esforços: do governo, entidades parceiras intencionais e nacionais, para acelerar a vacinação, fortalecer a coordenação na vigilância, permitir o engajamento das comunidades através da mobilização social, melhorar a assistência aos doentes e realizar a luta contra o vector responsável pelo alastramento da doenca, o Aedes Aegiptii.

“Queremos terminar a vacinação de Huambo e Caála num tempo muito curto de poucos dias, para assegurar o bloqueio da doença - frisou o Coordenador Residente-. Esta luta - continuou ele  - só poderá ser efectiva se os parceiros juntarem os esforços com o Governo e disponibilizarem de forma urgente os recursos financeiros necessários para a resposta”.

A doença começou a ser transmitida na população angolana no mês de Dezembro do 2015 e até 10 de Abril, segundo fontes do Ministério da Saúde, foram identificados 1,751 casos suspeitos com 242 óbitos. Os casos confirmados foram 582, dos quais 406 em Luanda e os restantes nas demais províncias (82 casos no Huambo). Outros casos foram confirmados em 59 distritos de 12 províncias do país e para além de Luanda, há actualmente surtos identificados em 5 províncias.

Durante a missão, o Coordenador Residente e a delegação visitaram os postos de vacinação e hospitais nos municípios de Huambo e Caála.

De salientar, que o Ministério da Saúde tem liderado este processo apoiado por outros Ministérios do Executivo e Entidades engajadas. A ONU e as suas entidades OMS, UNICEF, PNUD, bem como a CDC-Estados Unidos, Cooperação cubana, MSF-Espanha, entre outros parceiros internacionais, estão a apoiar a resposta do país à febre amarela com assistência técnica e recursos financeiros.