Apoio nutricional, poços de água e sementes serão disponibilizados pelas Nações Unidas para contribuir na mitigação da emergência nutricional em três Províncias do Sul de Angola

Mar 18, 2016

Ondjiva, 18 de Março de 2016 - A actual  seca provocada pelo fenômeno de El Niño deixou cerca de 1,4 milhões de pessoas em situação de insegurança alimentar no sul de Angola, dentre os quais estima-se 45.000 crianças com desnutrição aguda severa nas três províncias mais afectadas,  Cunene, Huila e Namibe. Com esse propósito, o Escritório de Coordenação das Nações Unidas em Angola submeteu um pedido de financiamento ao Fundo Central de Gestão de Resposta de  Emergência (CERF) da ONU para a Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA), tendo recebido a confirmação do referido financiamento de 5 milhões de dólares. Com esse fundo pretende-se potenciar as intervenções do Governo para salvar as vidas das pessoas mais afectadas, através do tratamento da desnutrição e as suas complicações, garantindo a segurança alimentar através da agricultura, pecuária, melhoria do acesso à água potável e saneamento adequado.  

É neste contexto, que o Coordenador Residente das Nações Unidas em Angola, Paolo Balladelli, Representantes da FAO, UNICEF e OMS e a coordenadora da Iniciativa ONU no terreno Lisa Angeli, baseada em Ondjiva, tiveram sessões de trabalho nos dias 17 e 18 do corrente com o Vice Governador do Cunene, o Director da Comissão da Protecção Civil e os responsáveis sectoriais da província.

O Coordenador Residente do Sistema das Nações Unidas em Angola sublinhou que “Esta medida de emergência das Nações Unidas é complementar aos esforços do Governo para atender as necessidades humanitárias imediatas no Sul de Angola. Também trabalharemos com os parceiros de desenvolvimento para potenciar a resiliência das comunidades em suportar os choques económicos e ambientais, à medida que mais eventos desta natureza poderão acontecer nos próximos anos ", sublinhou Paolo Balladelli.

Por seu lado, o Vice Governador realçou que “O governo provincial assumiu o compromisso de apoiar as populações afectadas e que um plano de trabalho interministerial já está em fase de implementação com apoio da Comissão de Protecção Civil”.

De destacar, que as três Agências das NU e os seus parceiros (Visão Mundial, CUAMM, entre outros), vão trabalhar para apoiar a Comissão Provincial de Protecção Civil na recuperação da situação de desnutrição aguda dos grupos mais vulneráveis dessas províncias, reforçando assim os esforços do Executivo que visam a melhoria da segurança alimentar e nutricional no Sul de Angola. A UNICEF e a OMS contribuírão para a recuperação nutricional de pessoas com desnutrição aguda e tratamento de doenças associadas. Além disso, a UNICEF também complementará acções nas áreas de água e saneamento, enquanto a FAO fornecerá assistência técnica com sementes de curto ciclo, ferramentas agrícolas e produtos veterinários.

Por outro lado, o PNUD também está apoiar a Iniciativa com actividades de coordenação e de fortalecimento das capacidades locais, para enfrentar a emergência e melhorar as capacidades  técnicas nas Instituições e nas comunidades para aumentar a sua resiliência. 

Esta iniciativa ainda que focada na emergência para salvar vidas, pretende também lançar uma parceria que possa trabalhar uma estratégia de médio e longo prazo, para assegurar condições de desenvolvimento que possam atenuar a continuidade destas situações de seca alternadas e cheias, que são responsáveis por mortes e pobreza na população vulnerável do Cunene, Huíla e Namibe.